Aaron Paul está chegando a Westworld

Um traficante usuário de drogas é tudo que Westworld precisa.

Breaking Bad já acabou há alguns anos, mas seus protagonistas seguem como queridinhos dos fãs de séries. Aaron Paul, que interpretou o descontrolado Jesse Pinkman, está de contrato assinado com a HBO para entrar para o elenco de personagens fixos de Westworld.

Desde o fim da aclamada série da AMC, em que ganhou três prêmios Emmy de melhor ator coadjuvante, Paul não teve muita sorte com os papéis que pegou, como na série The Path, da Hulu, cancelada após três temporadas. Mas ele também dá voz a Todd, em BoJack Horseman, da Netflix e será uma das estrelas de “Are You Sleeping”, série em produção da Apple.

Seu papel ainda não foi confirmado. Aliás, a HBO ainda não deu pio, a não ser para confirmar que o ator agora faz parte de seu casting. Então, o espaço para imaginação é grande, uma vez que um cozinheiro de drogas psicodélicas cairia muito bem no roteiro de Westworld. Talvez as coisas passem a fazer sentido.

Frank está morto: teaser da sexta temporada de “House of Cards” mostra Claire visitando túmulo

Temporada final estreia em novembro.

Carro-chefe da Netflix por várias temporadas, “House of Cards” vem chegando para sua sexta, e última, temporada. Em teaser divulgado hoje, a poderosa, e agora presidente dos Estados Unidos, Claire Underwood (Robin Wright) visita o túmulo de Frank, colocando de vez a última pá sobre o personagem.

Ao que parece, a morte não será exibida na série, mas deve ser tratada ao longo da temporada final com pouco destaque, uma vez que o legado do “ex-presidente” não é algo que se queira lembrar.

Kevin Spacey, ator que personificou o até então protagonista, teve seu contrato com a Netflix cancelado, após múltiplas alegações de abusos sexuais e comportamento inadequado nos sets de filmagens.

A sexta temporada de House of Cards estreia dia 2 de novembro, na plataforma de streaming.

Mais uma: Mr. Robot será cancelada após quarta temporada

Série se junta a Game of Thrones e Big Bang Theory para season finale em 2019.

Uma das séries de maior sucesso desta década, é a próxima a dar adeus em 2019. Sam Esmail, criador de Mr. Robot, anunciou o fim do show após sua quarta temporada, que irá ao ar no próximo ano. A notícia foi dada em primeira mão pelo The Hollywood Reporter.

Sucesso de crítica, a quarta temporada foi anunciada, sem se saber de seu fim, em dezembro de 2017, com ordem para a produção de oito episódios; a menor, até então. Mas fontes disseram que foi feito o pedido para mais 12.

“Desde o primeiro dia, vim construindo em direção a uma conclusão. E e eu decidi que a conclusão chegou, finalmente, ao desfecho da próxima temporada”, disse Esmail.

“Todos do time criativo, incluindo o pessoal incrível da USA (Networks) e da UCP, não queriam dizer adeus, mas respeitamos demais demais a jordana de Elliot para extendê-la além de seu inevitável fim”, concluiu.

Mr. Robot estreou em 2015, seguindo a história de Elliot Alderson, um engenheiro de segurança nova-iorquino, e hacker, que sofre com transtornos mentais se junta a um grupo de cyber ativistas, com o ambicioso objetivo de, de alguma forma, derrubar o capitalismo.

Entre muitas outras, o sucesso da USA Networks chegará ao seu fim no mesmo em que como Game of Thrones e The Big Bang Theory. No Brasil, a série é transmitida pelo canal pago Space e está disponível no Amazon Prime Video.

Sad Bazinga: The Big Bang Theory terá seu fim em 2019

Apesar de estar no ar há mais de uma década, a notícia pegou os fãs de surpresa.

Está confirmado: a décima segunda temporada de “The Big Bang Theory” será, também, a última da série. O comunicado foi feito pela Warner Bros., que anunciou que a série da CBS terá seu último episódio em 2019.

A notícia pegou os fãs de surpresa, uma vez que, apesar de estar no ar há onze anos, a sitcom sempre manteve seu bom nível, de acordo com público e crítica – acumulando 52 indicações ao Emmy, e vencendo dez – e já havia se consolidado como a série multi-câmera mais longeva da TV.

Um comunicado conjunto, assinado pela Warner Bros. Television, CBS e Chuck Lorre Productions diz: “Somos eternamente gratos aos nossos fãs pelo apoio em The Big Bang Theory durante as últimas doze temporadas. Nós, juntamente com o elenco, roteiristas e equipe, somos extremamente agradecidos pelo sucesso do show e planejamos entregar uma temporada final, e um series finale, que levará The Big Bang Theory a um encerramento criativo épico.”

Em 2017, os protagonistas Jim Parsons (Sheldon), Johnny Galecki (Leonard), Kaley Cuoco (Penny), Simon Helberg (Howard) and Kunal Nayyar (Raj) assinaram novos contratos, onde passaram a receber cerca de US$1mi por episódio. A décima primeira temporada manteve bons números de audiência, com média de 18,6mi de espectadores por episódio, superando, inclusive, o tradicional Sunday Night Football.

Negociações foram mantidas pela CBS, para que o show fosse renovado para a 13ª temporada, mas as conversas não avançaram muito e não restou outra alternativa, senão trabalhar com o inevitável fim.

A 12ª temporada estreia dia 24 de setembro, próximo, e deve ser encerrada (para sempre) em maio do próximo ano.

Star Trek: Universo da icônica série vai ser expandido pela CBS

As novas séries e mini-séries devem chegar até 2023.

A CBS, responsável por Star Trek: Discovery, e a Secret Hideout, chefiada por Alex Kurtzman, fizeram um acordo que garante à expansão do universo pela produtora por mais 5 anos. Entre as produções em desenvolvimento estão: novas séries, mini-series e outros conteúdos variados, como animação.

A Variety afirmou que as seguintes séries já estão em desenvolvimento:

  • Uma série sobre a Academia da Frota Estelar. Comandando o projeto estão Stephanie Savage e Josh Schwartz que são responsáveis pelas séries Dynasty (CW) e Runaways (Marvel e Hulu).
  • Uma série sujo conteúdo ainda é um mistério.
  • Uma mini-série baseada na história de Khan.
  • E uma série animada que não se tem maiores informações.

Kurtzman supervisionará todos os projetos para que a franquia tenha coerência. A CBS se recusou a comentar ou confirmar sobre qualquer projeto específico.

No momento, a única série de Star Trek que está no ar é Discovery, que no Brasil é transmitida pela Netflix. No cinema, Star Trek 4 e um longa roteirizado por Quentin Tarantino devem estreiar em breve.

Reboot de The Office está em pré-produção pela NBC

Mas sem Michael Scott, diretor regional da filial da Dunder Mifflin Scranton.

The Office ficou no ar por nove temporadas, chegando ao fim em 2013, depois de muitas mudanças no elenco. Todo esse tempo só pôde ser sustentado com sucesso de público e crítica, que renderam à série inúmeras indicações e prêmios, incluindo alguns Emmy’s. Agora, a NBC está oficialmente trabalhando em um retorno, pouco mais de cinco anos após o fim.

Fontes confirmaram ao site TVLine que o reboot deve ir ao ar na janela 2018-2019 e será rodado na filial de Scranton da Dunder Mifflin, que segue lutando para se manter relevante no mercado de papéis. Contudo, o retorno será sem Steve Carell, que interpretou o gerente regional Michael Scott por sete temporadas, personagem no qual a série foi centrada durante os anos em que esteve presente.

A saída de Carell, aliás, é tida como o ponto que estabeleceu o fim da sitcom. Sem Scott, o programa se sustentou por mais duas ótimas temporadas, mas a falta da figura carismática do gerente regional era um vazio para muitos fãs. Durante esse período, vários outros personagens ocuparam a função de Michael, numa espécie de teste dos roteiristas, que deixou tudo muito divertido e manteve o nível.

bg_michaelscottparkour
Nova temporada não terá o diretor regional Michael Scott.

Produtora da sitcom, a NBC ainda não se posicionou formalmente a respeito do reboot. Tudo que se sabe são de conversas informais de Robert Greenblatt, diretor do canal, com Greg Daniels, criador da série.

Ainda não há informações sobre o elenco que estará presente para a nova temporada. O que se sabe é que a série trará novos personagens mesclados com antigos, e que a NBC está em busca de um novo diretor regional para a Dunder Mifflin Scranton. Em março, John Krasinski, o Jim Halpert, disse ao portal IndieWire que estaria muito animado para um especial de natal do show.

Apostando em revivals, a Will & Grace vem fazendo sucesso em seu retorno à programação NBC, que, além de The Office, também estuda um reboot da série 30 Rock. Animado com a ideia de uma nova temporada de The Office? Quem você quer ver de volta?

O fim, foi o fim. Co-criador garante que reboot de Friends “nunca acontecerá”

Em entrevista recente, David Crane pisou em muitos sonhos.

Indiscutivelmente, a sitcom de maior sucesso de todos os tempos, Friends ficou no ar por dez anos, mostrando as histórias de vida de seis amigos inseparáveis. Ao contrário do que acontece com muitas séries que duram tanto tempo, a comédia da NBC teve um fechamento satisfatório, que deixou em muitos fãs – como eu – a sensação de dever cumprido. Mas, mesmo 14 anos depois, muitos ainda sonham com um retorno da série. Ou sonhavam.

Em entrevista ao site The Wrap, David Crane, co-produtor do show, não deu margem às dúvidas. Uma reunião de Friends “nunca acontecerá”, disse ele. “Nunca. Nós fizemos, e acabou. É por isso que não queremos ver mais disso: porque foi um final feliz.”

Mas a atriz Rachel Bloom, estrela da série Crazy Ex-Girlfriend, furou a conversa para fazer a pergunta que muitos fãs se fazem: “e Ross e Rachel, ainda estão juntos?” Crane, mais uma vez, foi categórico: “Sim. Qual é, eles lutaram muito, por dez anos”. Então, surgiu outra dúvida da própria Bloom, sobre Mônica e Chandler. “Eles também vão muito bem!”

Apesar das vontades de muito órfãos da sitcom, que ficou no ar de 1994 a 2004, as opiniões sobre uma volta da série não são unanimidade nem mesmo entre os atores que eternizaram seus personagens. Em conversa no The Ellen DeGeneres Show, em fevereiro, Jennifer Aniston, a Rachel Green, disse: “Tudo é uma possibilidade, Ellen. Tudo, não é? Quero dizer, George Clooney se casou.”

Contrastando com a opinião de Aniston, Matt LeBlanc, o carismático Joey Tribbiani, e Lisa Kudrow, a eterna Phoebe, compartilham uma opinião de por que a série não teria o mesmo impacto nos dias de hoje. “Estão revivendo tudo, mas eu não sei… Como isso funcionaria com Friends?”, Kudrow se perguntou. “Era sobre pessoas de 20, 30 anos. O programa não era sobre pessoas de 40, 50. E, se tivermos os mesmos problemas, só seria triste, nada divertido”, finalizou.

bg_friends_mattlisa
Matt LeBlanc (Joey Tribbiani) e Lisa Kudrow (Phoebe Buffay), os casal que nunca aconteceu, têm opiniões semelhantes sobre um possível reboot.

Opinião semelhante a de Matt, expressada durante entrevista a uma rádio australiana. “Eu entendo que as pessoas querem uma reunião, mas o programa foi sobre um período definido na vida daqueles personagens, entre os 20 e os 30 anos”, disse LeBlanc. “Ver o que esses personagens estão fazendo agora, eu acho que é um caso em que o livro é melhor que o filme. O que cada um imagina que eles estão fazendo agora, é melhor”, pontuou.

Apesar do baque, é interessante ver a maturidade com que os atores tratam uma possível volta da série. Não ver a oportunidade como uma chance caça-níquel, de fazer mais dinheiro em cima de algo que acabou tão bem e correr o risco de estragar o que foi construído, mostra que tudo foi, e é, tratado com muito carinho. Que vai além de simplesmente se fazer algo por fazer. Vamos nos contentar com as maratonas intermináveis e divertidas na Netflix.