Shang Tsung e outros personagens são revelados para Mortal Kombat 11

O feiticeiro chega dia 18 de junho para todas as plataformas

A Netherrealm Studios acaba de revelar um trailer recheado de informações de Mortal Kombat 11. No vídeo, além da revelação do gameplay do clássico personagem Shang Tsung, temos a confirmação de que Sindel, Nightwolf e Spawn também estarão disponíveis futuramente. Além destes, outros dois personagens ainda serão revelados.

O feiticeiro chegará no dia 18 de junho, para quem possui o Kombat Pack, que concede acesso antecipado aos lutadores. Sub-Zero, Scorpion e Noob Saibot também terão suas roupas clássicas liberadas através do Klassic Arcade Ninja Skin Pack. Confira o trailer abaixo:

 

Mortal Kombat 11 já está disponível para PS4, XBox One, PC e Switch.

Nintendo anuncia Switch temático Pikachu e Eevee

O Switch mais fofinho que você já viu!

Por meio de sua conta oficial no Twitter, a Nintendo revelou um novo modelo temático para o Nintendo Switch. A partir do dia 16 de novembro os fãs de Pokémon, umas das maiores franquias de jogos do mundo, poderão contar com um novo visual para Nintendo Switch.

A homenagem é em comemoração ao lançamento do novo game da franquia, Pokémon Let’s Go, Pikachu / EeveeAlém de uma cópia do game, o bundle ainda contará com o acessório Poke Ball Plus, para maior imersão.

Aplicativo para leitura de quadrinhos está chegando ao Switch

Exclusivo para o console da Nintendo, InkyPen dará nova funcionalidade ao console.

A partir de novembro deste ano, a Nintendo adicionará uma nova funcionalidade ao seu Switch: e-reader de e-comics. O InkyPen, um serviço de assinatura para fãs de quadrinhos, está chegando exclusivamente para o console japonês e trará uma nova funcionalidade para os nintendistas.

Baseado em inscrições, como se gosta de dizer, o InkyPen será como o “Netflix dos quadrinhos”. Com uma assinatura de US$7,99, o serviço disponibilizará aos usuários acesso a mais de dez mil mangás, novelas gráficas e outras publicações relacionadas.

Mas não espere grandes nomes da indústria, como Marvel e DC, no serviço. Baseada na Noruega, a InkyPen trará publicações indies e de outras editoras menos conhecidas. Ainda assim, parece uma proposta interessante.

bg_inkypenkeyart

O serviço será uma nova opção de aplicativos third-parties para o console da Nintendo, que chama a atenção pela ausência da própria Netflix – apesar de suportar o Hulu.

Contudo, as funcionalidades do Switch serão bem exploradas pelo app, permitindo que o usuário folheie pelas publicações, utilizando o touch-screen do console, e transmitindo direto para a tela da TV.

Diablo 3 será lançado para Switch

Lançamento chega em 2018

A Blizzard anunciou o lançamento de Diablo 3 Eternal Collection para o Nintendo Switch. O game chega ainda em 2018 e contará com todas as expansões já lançadas. Além de permitir até quatro jogadores no mesmo aparelho ou jogando online.

O jogo terá conteúdo exclusivo de Legend of Zelda. Sendo este, o conjunto de armadura Legend of Ganondorf, um retrato de Tri-Force, as asas Echoes of the Mask e uma galinha como pet.

Você pode conferir abaixo um trailer lançado para anunciar a novidade. No vídeo Reggie Fils-Aimé, presidente da Nintendo of America, e Mike Morhaime, co-fundador da Blizzard, conversam entre si e falam um pouco sobre o título.

Warframe é o novo port da Panic Button para o Nintendo Switch

In Panic Button we trust

A Panic Button, responsável pelos ótimos ports de Doom, Rocket League e Wolfenstein II está trabalhando em mais um projeto para o Nintendo Switch, se trata do shooter de ação Warframe.

O game free to play é propriedade da Digital Extremes. O shooter teve sua primeira aparição no PC em 2014 e em 2015 para os consoles da Sony e Microsoft.

A data de lançamento ainda não foi divulgada.

 

Kenichiro Tsukuda explica todo conceito artístico por trás de Daemon X Machina

O game promete experiências sonoras e visuais únicas

A nova IP da Nintendo, Daemon X Machina deu as caras pela primeira vez durante a E3 desse ano. Até o momento poucas informações (além do trailer) foram reveladas sobre o novo exclusivo do Nintendo Switch.

Entre outros aspectos, o conceito artístico é um dos pontos fortes do jogo, em entrevista ao site Polygon, o produtor Kenichiro Tsukuda explicou suas intenções: “Os games de hoje têm a mesma paleta de cores, e eu, pessoalmente, não estava muito feliz com isso. As cores que você vê [em Daemon X Machina] são escolhidas especificamente para cada uma das missões que você realiza, com base em como queremos que você se sinta quando estiver jogando

Além do visual, o produtor também quer trabalhar de forma experimental na parte sonora do game. “Disparar uma arma soa como um tambor, e há uma lâmina laser que realmente usa o som de uma guitarra. Então, quando você estiver com um grupo de arsenais, queria que o game desse a impressão de que você está em uma jam session“, encerrou.

Dragon Ball FighterZ chega para o Switch em setembro no Japão

Pacote também contará com DBZ clássico de Super Nintendo

Dragon Ball FighterZ para Switch já possui data de lançamento, ao menos no Japão. O game chegará em 27 de setembro, segundo a revista V-Jump.

Além do mais recente jogo da série, a versão contará com um código de acesso ao primeiro jogo de DBZ para Super Nintendo, o Dragon Ball Z: Super Butoden. E ainda uma carta rara para o jogo arcade, Super Dragon Ball Heroes. Goku e Vegeta na forma SSGSS, ou Super Saiyajin Azul, também estarão disponíveis.

Vale lembrar que FighterZ já está disponível desde o começo do ano para as outras plataformas. E que a versão para Switch foi anunciada recentemente durante a E3.

Balanço Geral: surpresas e decepções da E3 2018

A exposição de 2018 foi como todas as outras, com seus pontos positivos e negativos. Mas, com certeza, foi melhor que a do ano anterior.

Aconteceu esta semana, em Los Angeles, a Electronic Entertainment Expo 2018 – E3, para facilitar. A exposição como uma Copa do Mundo para os gamers de todo o mundo, com comemoração e tudo, mas com o diferencial de ser anual. As principais fabricantes de consoles, e algumas das principais desenvolvedoras third-parties, usam os espaços da feira para apresentar ao público suas novidades.

E essa E3 foi incrível, apesar de todas ausências. Não é uma competição, mas com certeza nenhuma produtora ali quer perder. Os estúdio entraram com tudo o que tinham de melhor, e se deram ao luxo até mesmo de deixar algumas coisas de fora.

As grandes rivais, Microsoft e Sony, fizeram apresentações brilhantes de suas próprias maneiras. A Nintendo, de certa forma, foi a mais decepcionante. EA e Bethesda não se comprometeram e entregaram produtos parrudos. A Square-Enix entregou bons títulos, mas sem grandes surpresas. A Ubisoft apresentou promissores títulos, como não poderia deixar de ser. Vamos ao balanço!

EA – sábado, 9 de junho

Eu diria que o ponto mais alto da apresentação da EA seria quando os apresentadores deixaram claro, logo no início: “sem loot boxes”. A desenvolvedora parece ter aprendido com tudo que aconteceu no último ano e deixou de lado um pouco da ganância. Mas seria injustiça minha destacar isto como principal.

Eles trouxeram bons títulos e, como sempre, jogos com gráficos de brilhar os olhos. Podemos destacar aqui Anthem, que apresentou um belo gameplay e proposta inovadora para os games multiplayers.

Sentimos falta: Detalhes sobre Jedi: The Fallen Order. O título poderia ser o grande destaque da apresentação, mas não houve sequer uma artezinha conceitual.

Microsoft – domingo, 10 de junho

Difícil escolher um único destaque aqui. Halo Infinite? Devil May Cry 5? Gears Of War 5? Cyberpunk 2077? Escolhemos os cinco estúdios absorvidos pela Microsoft!

Desde sempre, o Xbox é criticado pela falta de exclusivos de peso. Quero dizer, eles têm o próprio Halo e Gears of War, por exemplo, mas o concorrente direto, PlayStation, tem um catálogo de títulos só deles muito maior e de muito mais sucesso.

Claro que apresentaram bons jogos nesta conferência, mas a aquisição, por exemplo, do Ninja Theory, desenvolvedor de games como Hellblade e Devil May Cry, é uma grande adição à companhia.

Sendo assim, destaco não o que a Microsoft apresentou para o Xbox One, mas, talvez, o que ainda estar por vir.

Sentimos falta: Nada. As expectativas eram baixas. Eles esmagaram as expectativas e aumentaram o nível para o ano que vem!

Bethesda – domingo, 10 de junho

Ah, Bethesda, sua danada! Nem que nos esforçássemos muito, conseguiríamos te odiar. Sempre carismática, ela trouxe uma apresentação consistente, parruda e com teasers para jogar para escanteio qualquer mau sentimento.

Queríamos ser do contra e tentar apontar defeitos no anúncio, como a falta de uma data. Mas, mesmo só com um teaser que não diz ABSOLUTAMENTE NADA sobre o que está por vir, The Elder Scrolls VI é tudo que temos a dizer.

Sentimos falta: Mais detalhes. Apesar dos bons títulos, a apresentação foi muito limitada à visões superficiais sobre os títulos.

Square-Enix – segunda, 11 de junho

Trailers bonitos, nova IP, live action… Sabemos que, apesar das grandes novidades, o que todos queriam era a continuação de Kingdom Hearts, e ela chegou! Apesar de já ter dado as caras no dia anterior, na conferência da Microsoft, não poderíamos tirar esta estrela da apresentação da Square-Enix.

A novidade, agora, é que, como ficou claro na apresentação do Xbox, Kingdom Hearts 3 também estará no catálogo do console da Microsoft pela primeira vez.

Sentimos falta: Qualquer coisa sobre o remake de Final Fantasy 7.

Ubisoft – segunda, 11 de junho

Esses franceses têm grandes títulos, é inegável. O trailer cinematográfico do ambicioso Beyond Good & Evil 2 tem seu lugar sob os holofotes, ou mesmo o carro-chefe, Assassin’s Creed. Mas, cá entre nós, depois do sucesso de público e crítica de Origins, já imaginávamos que o Odyssey se faria presente na E3.

Isso deixa um pé atrás, por conta de todos os problemas que tiveram com a pressa para lançar um AC por ano, e o trailer faz parecer que o novo título da franquia é o Origins que foi à academia. Então, vamos pegar o caminho mais difícil.

O trailer de The Division 2 deixou muita gente animada e esperamos um jogo ainda mais imersivo que o primeiro. Os gráficos estão incríveis e jogabilidade empolgante. É um título que de futuro!

Sentimos falta: Splinter Cell. Muito se dizia sobre uma possível aparição do título na conferência, mas não foi confirmado.

PlayStation – segunda, 11 de junho

Em 2017, decepção foi o que ficou. No ano passado, a Sony trouxe uma apresentação xôxa, decepcionante. Mas, neste ano, meu amigo…

Foi, de longe, a conferência que trouxe o maior número de títulos empolgantes. Entre esperados e inesperados, a boa surpresa ficou por conta do trailer do remake de Resident Evil 7, anunciando três anos atrás e que desde então ficou sob silêncio ensurdecedor.

Tivemos também o impactante primeiro trailer de gameplay de The Last of Us Part 2, trazendo uma visão intimista sobre a protagonista Ellie. Também o trailer de Death Stranding. Quanto a esse, o Kojima ainda tem muito o que se explicar…

Mas, nada disso! Digo, TLOU2 já era esperado para conferência e, sim, o trailer empolgou e aumentou (muito) o hype. Mas Ghost of Tsushima nos pegou de guarda baixa. Gráficos incríveis, gameplay imersivo, ambientação impecável. Queríamos apenas uma data, Sony. Nem que fosse uma previsão… Isso não se faz.

Sentimos falta: Red Dead Redemption 2.

Nintendo – terça, 12 de junho

Não empolgou. Nos desculpem N-boys and girls, mas a apresentação da Nintendo, apesar dos ótimos títulos anunciados, foi chata, maçante. Apesar de terem tentando nos convencer de que o objeto de maior destaque ali era Super Smash Bros. Ultimate, acreditamos que Fire Emblem seja o mais inesperado, e vamos nos agarrar a isso.

Sentimos falta: Metroid Prime 4.

***

E vocês, o que acharam da E3 neste ano? Muitos dos games apresentados estão mais próximos do lançamento do que esperávamos. E, acalmem-se. Também sentimos falta de Superman, provável próximo título da Rocksteady. Devemos ter novidades em breve.

Resumão – Apresentação da Nintendo na E3 2018

Ahooy, meus queridos marujos! Mais um ano, mais uma E3 que se encerra. Muita gente gostou das conferências, muita gente achou tudo muito meia boca. A verdade é que a infelizmente a Big N não conseguiu fechar o evento com chave de ouro.

Em resumo, a Nintendo falou muito, muito, muuuuito sobre o novo Smash Bros Ultimate (sério, quase meia hora), deixou o prometido Metroid Prime 4 de fora, apresentou poucas novidades e passou rapidamente por alguns jogos que vão sair para o Switch, alguns bem legais e com pouco destaque na conferência, como por exemplo, Dragon Ball FighterZ.

Além disso, também rolou uma nova IP, intitulada Daemon X Machina, que fez bonito no começo da apresentação com seus gigantes robôs e belos gráficos. Merece o destaque também o anúncio de Fire Emblem Three Houses Super Mario Party.

Para conferir todas as novidades da Big N, é só dar o play: