Peixe de Segunda: 5 bandas brasileiras de mais sucesso no exterior que em casa

Talvez sejam os sons, distantes daqueles culturalmente enraizados em nossas terras.

Dono de um capital cultural incrível, o Brasil é berço de maciços movimentos artísticos, que revelaram nomes em diversas áreas. Do samba de raiz, surgido nas periferias do país, ao cinema premiado internacionalmente, passando pela Tropicália e outras manifestações no entremeio, nossos comportamentos transpuseram barreiras.

Talvez, a música seja nossa principal contribuição para o mundo artístico. Desde as bandas que somos mais familiarizados, àquelas que escolheram se focar no mercado internacional, em busca de um público diferenciado, que no Brasil acaba por ser apenas de nicho.

Focando nesses artistas, trago uma lista dos cinco bandas que fizeram mais sucesso além das nossas fronteiras. Principalmente, por focarem em composições no internacional inglês.

1. CSS

Surgida com o boom da internet, no início dos anos 2000, o Cansei de Ser Sexy, ou CSS, conquistou o público do indie/eletrônico com hits pop chicletes. Depois de estourar na MTV Brasil com o clipe de “Alala”, a banda teve seu público fiel na Europa, para onde se mudou para dar sequência à carreira.

Tiro certo! Emplacando single atrás de single, a banda se manteve sob holofotes e foi presença constante em vários festivais do velho continente.

A música descompromissada deu um ar de autenticidade ao grupo indie, que conseguiu fazer seu som até o topo e segue carreira até hoje, formada inteiramente por meninas, uma vez que Adriano Cintra deixou a banda em 2011.

2. Angra

Uma das principais expoentes do heavy metal brasileiro, Angra com certeza foi das bandas de maior sucesso comercial fora do país. Em seu início, fez participações um tanto quanto questionáveis em programas de TV.

Mas foi um mal necessário. Logo a banda decolou e foi trampolim para grandes nomes da música brasileira. Inclusive, a partir do Angra surgiram outros nomes, como Shaman, que é quase como uma subsidiária da primeira.

Kiko Loureiro, guitarrista e fundador da banda, é hoje, também, guitarrista do Megadeth, um dos principais nomes do thrash metal mundial, sendo integrante do Big Four of Thrash, junto a Slayer, Anthrax e Metallica.

3. Far From Alaska

Mais recente da lista, o som dos nordestinos do Far From Alaska chegou no momento certo, em que bandas de stoner surgem aos montes. Mas, não apenas isso, fazem um som muito bom e conseguem se destacar em seu estado, Rio Grande do Norte, mesmo tocando em inglês.

Em 2017, a banda foi uma das atrações da edição francesa do itinerante Download Festival, dividindo palco com bandas de status internacional, como Slayer e System of a Down.

Cercada de bons instrumentistas, Emmily Barreto lidera muito bem a banda como excelente frontwoman e um vocal poderoso.

4. Krisiun

Um dos grandes nomes do metal extremo brasileiro, o powertrio gaúcho Krisiun é aclamado mundialmente com um som que transita entre o thrash e o death metal, conciso e direto. Tem grande público na Alemanha, onde, inclusive, gravaram alguns de seus álbuns.

Já tendo excursionado pelos quatro cantos do mundo, a banda dividiu palcos com grandes nomes do death metal mundial, como Vader, Morbid Angel e Brujeria. Eles seguem na ativa, e muito bem, com turnês no Brasil e fora, e quase 20 anos de estrada.

5. Sepultura

Sem dúvidas, o maior expoente da música pesada brasileira. Sepultura tem todo um nome para si mesmos, sendo presença frequente em diversos veículos ao redor do mundo entre as bandas e álbuns mais influentes do metal.

O destaque é o álbum Roots (1996), que elevou o patamar da banda, fazendo seu som transitar do thrash para o groove metal, marcou o experimentalismo da banda, que misturou batuques de sons de matrizes africanas ao timbre grave dos instrumentos do metal pesado.

Se tornando um dos principais nomes do gênero, a banda de BH é sempre citada por outros artistas do meio, como Dave Grohl, membros do Metallica e Gojira, como uma de suas principais influências.

Deixamos alguém de fora que não deveria ter ficado? Conta aí!

***

“Peixe de Segunda” é a coluna da Baleia para tratar de temas não convencionais dentro da cultura pop e do universo geek.

Peixe de Segunda: 5 MMOs que ainda estão ativos e vão te dar um beijo de nostalgia

Em memória aos tempos de LAN-house

1 – Ragnarök Online (2002)

O MMORPG lançado pela Gravity em 2002 foi por muito tempo o grande queridinho dos Brasileiros. Se você é das antigas não tem como ter deixado Ragnarök Online de lado.

Misturando estilo artístico oriental com mitologia nórdica, o MMORPG coreano tem seus servidores abertos até hoje, e atualmente pode ser encontrado de graça pela Steam. Então corre, marujo! Suba no seu Peco-peco, lembre daquela sua velha build e dê play nessa delícia.

Um beijo para quem tinha o CD com esse vídeo da Level Up Games:

2 – MU Online (2003)

Sucesso nas LAN-houses brasileiras, MU Online se destacava pelos ótimos gráficos em comparação aos outros MMORPGs da época. Lançado pela empresa coreana Webzen, o game recebeu diversas atualizações desde 2003, e agora conta com bastante conteúdo adicional como classes para personagens, mapas e itens.

Mesmo com o Lançamento do seu sucessor, MU Legends, MU Online continua com seus servidores ativos. O game atualmente é free to play e tem os servidores bastante fluidos, prontinhos para atender seus sonhos mais nostálgicos.

3 – Lineage II (2003)

Imagine um jogo bonito, totalmente online e extremamente pesado para os padrões de 2003. Bem vindo a Lineage II, o MMORPG que todo mundo queria jogar, mas poucos tinham computador e conexão compatíveis com os requisitos mínimos exigidos pela NCSOFT. Para você ter uma ideia, na época em que a maioria das conexões eram discadas, o game exigia download de arquivos que passavam dos 3GB.

Se você era o rei da sua escola, com um computador poderoso e uma boa conexão em 2003, é hora de reviver esse clássico que atualmente se encontra gratuito. Se você conseguiu jogar Lineage II só pelas idas de 2007 (como foi meu caso), também é hora de mandar ver nesse universo.

4 – World Of Warcraft (2004)

Considerado o MMORPG mais popular do mundo, World Of Warcraft chegou a alcançar a margem de 11 milhões de jogadores ativos em 2010 nos servidores da Blizzard. Famoso no Brasil por seus servidores piratas, que garantiam diversão gratuita, World Of Warcraft se destacava pela complexidade em seu gameplay, contando com diversas combinações de skills e builds diferenciadas dentro da mesma classe.

Existe dois tipos de jogadores dentro do MMORPG da Blizzard, aqueles que mandam muito bem e aqueles que apenas existem. Eu com certeza me encaixava no segundo tipo, mas persisti online no game por muito tempo. Se você quer tirar a poeira dos seus personagens, saiba que a Blizzard mantem o servidor de WoW ativo e ainda conta com um grande número de jogadores online.

5 – GunBound (2002)

O troféu de diferentão dessa lista vai para GunBound, o game japonês da Softnyx. O game chegou no Brasil em 2004, com o seu estilo semelhante ao popular Worms. Fugindo do RPG, esse MMO de plataforma coloca dois times em uma batalha de turnos, onde cada jogada é determinada pela força,ângulo e vento.

Atualmente o game é localizado em um servidor totalmente nacional, pela própria Softnyx, que ainda conta com alguns fãs brasileiros. Caso você queira pilotar alguns carrinhos de guerra, essa é a hora. Você pode fazer download gratuito do game pelo site oficial brasileiro.

 

***

“Peixe de Segunda” é a coluna da Baleia para tratar de temas não convencionais dentro da cultura pop e do universo geek.

Peixe de Segunda: Jogadores de futebol na sétima arte

No campo eles podem ser ótimos profissionais, ao bater da claquete a história é um pouco diferente

Ahooy, meus queridos marujos! Estamos no começo da Copa do Mundo e todo mundo só fala de futebol. Para aproveitar o hype, o peixe de segunda dessa semana vem com o pior melhor do futebol no cinema mundial, grandes atletas que fizeram um bico na sétima arte.

Então prepare a sua pintura no rosto, veste a camisa verde e amarela e vem pro top 5 do peixe de segunda.

1 – Pelé – Fuga para a Vitória (1982)

O Rei do Futebol deu uma de ator em Hollywood e contracenou junto com ninguém menos do que Sylvester Stallone. O longa se trata de Fuga para a Vitória, de 1982, e tem como cenário a Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial.

Em um campo alemão de prisioneiros de guerra, o major Karl von Steiner, que no passado havia sido jogador da seleção alemã de futebol, tem a ideia de fazer um jogo entre a Alemanha e uma seleção composta pelos prisioneiros aliados, liderados pelo capitão John Colby, um militar inglês que era um conhecido jogador de futebol.

2 – David Beckham – Driblando o Destino (2002)

O galã da Inglaterra, Beckham, não só participou como foi tema principal de um filme inteiro. A comédia Driblando o Destino (Bend It Like Beckham), tem como o centro da história de uma garota indiana chamada Jesminder, que adora futebol (e o bonitão do Beckham) , mas, devido a seus costumes, é proibida pela família.

3 – Neymar – xXx: Reativado (2017)

“xXx: Reativado”, contou com uma pequena participação do jogador brasileiro, Neymar Jr. Apesar de ter sido pouco tempo de aparição no longa, ela deu o que falar. O atleta contracena com o ator Samuel L. Jackson e na cena ele afirma que não é herói, mas sim um jogador de futebol.

4 – David Beckham – Rei Arthur – A Lenda da Espada (2017)

Não se contentando somente com Driblando o Destino, dessa vez, Beckham participa de uma produção muito maior. O pequeno papel do galã inglês rendeu duras críticas ao jogador, que com certeza faz mais bonito dentro de campo. Pelo menos não podemos dizer que ele não tentou.

Zinedine Zidane – Asterix nos Jogos Olímpicos (2008)

Zidane, ou Zizou (como os fãs costumam chamar o atleta) viveu dois dos momentos mais distintos de sua carreira em 2006: na final da Copa, contra a Itália, após ouvir ofensas de Materazzi, reagiu com uma cabeçada no peito do adversário resultando em sua expulsão; e sua divertidíssima participação (com direito a sandálias personalizadas) em Asterix nos Jogos Olímpicos, onde interpreta um arrogante egípcio.

BONUS – Pelé – Os Trombadinhas (1979)

O clássico meme em forma de pornochanchada brasileira.

***

“Peixe de Segunda” é a coluna da Baleia para tratar de temas não convencionais dentro da cultura pop e do universo geek.

Peixe de Segunda: Os crossovers mais inusitados da cultura pop

Quando executivos de grandes empresas se unem, muita coisa bizarra pode acontecer.

Crossover inusitado não é uma exclusividade dos Gorillaz, que recentemente revelou o seu mais novo integrante, Ace, líder da Gangue Gangrena, direto do universo de Meninas Superpoderosas. Se você quer acompanhar toda história, tem uma matéria completinha sobre isso aqui, na Baleia.

Para provar isso, no Peixe de Segunda de hoje vamos mergulhar nas profundezas dos crossovers mais inusitados da cultura pop. Suba à bordo com cuidado, marujo. Essa viagem pode ser traumática.

1 – Supernatural e Scooby-Doo

Supernatural foi longe demais mais uma vez. A série (infinita) da Warner tem como principal característica deixar as coisas cada vez mais estranhas (para não dizer ruins). Depois de se envolver com deuses, demônios e criaturas mitológicas, os irmão Winchester decidiram fazer parte no universo da Cartoon Network.

Sam e Dean enfrentam uma fantasia de dinossauro gigante que está possuída. Ao exterminar o espírito, o dono da loja oferece que os irmãos levem algo da loja. Dean escolhe uma televisão.

O problema é que, quando ele liga a tevê, os irmãos acabam sendo conduzidos para dentro dela e caem exatamente no universo de Scooby-Doo. Intitulado Scoobynatural, este é o 16º episódio da 13ª temporada de Supernatural.

2 – Megadeth e Duck Dodgers

Em 2006, Dave Mustaine decidiu fazer uma boquinha na animação protagonizada por Patolino, Duck Dodgers. O nome do episódio é bem sugestivo para a ocasião, intitulado de “No espaço, ninguém pode ouvir você tocar Rock“, e tem direito a uma música inteira da banda.

3 – Power Rangers e Tartarugas Ninjas

powerninja
O melhor “toca aqui” dos anos 90.

Em 1997, a Fox resolveu unir os Rangers com as Tartarugas mais queridas da cultura pop. A mistura inusitada foi uma jogada de marketing para promover a série em live action das Tartarugas, que na época não estava tão bem das pernas, como Power Rangers. O resultado é de fazer brilhar os olhos de qualquer criança dos anos 90.

No episódio, intitulado “Encontro de Super Heróis”Astronema, vilã dos Rangers, lança um feitiço nas tartarugas mutantes, que se voltam contra os Power Rangers, afim de derrotar os mesmos.

Depois de muitas faíscas e explosões, os Rangers conseguem reverter o efeito e contam com a ajuda das Tartarugas Ninjas para derrotar Astronema.

4 – NBA Street V3 e Nintendo

O terceiro game da série NBA Street, para o GameCube, traz um crossover exclusivo e um tanto quanto bizarro.  No game de 2005, junto aos grandes astros do basquete, você pode jogar com Mario, Luigi e a Princesa Peach.

Misturando personagens realistas com personagens cartunescos, o crossover é um bom exemplo de como duas gigantes dos games (EA e Nintendo) podem errar de mãos dadas. Quem achou que isso seria uma boa ideia?

5 – Freddy vs Jason

O que pode dar em um crossover entre dois clássicos do terror? Errado, é claro! O filme, de 2003, traz uma história fraca e diálogos sofríveis. A mistura (im)perfeita entre o terror trash dos anos 80 e os blockbusters do começo do século.

No longa, Freddy Krueger foi condenado ao esquecimento. Todas as menções sobre sua existência foram apagadas, e os jovens, que ficaram mais traumatizados com suas macabras aparições. Eles foram mandados para um sanatório, onde tomavam uma droga experimental, Hypnocil, que os impedia de sonhar. Consequentemente, não deixando que Krueger agisse, fazendo-o perde suas forças gradativamente.

Tentando se vingar, Freddy manipula alguém que estava com ele no inferno – Jason -, e o manda para aterrorizar os jovens da Elm St., com o intuito de restaurar o medo na cidade. Quando Jason descobre que Freddy o usou, um confronto entre os dois se torna inevitável.

***

“Peixe de Segunda” é a coluna da Baleia para tratar de temas não convencionais dentro da cultura pop e do universo geek.

Peixe de Segunda: 5 Filmes Trash para ver acompanhado

Um belo motivo para ficar em baixo do edredom

Nada melhor do que aquele friozinho, um cobertor, um filme de terror bem trash e uma boa companhia. ( ͡° ͜ʖ ͡°)
Aproveitando que o dia dos namorados está chegando, a Baleia Geek separou 5 filmes clássicos do terror trash que vão te deixar colado com o crush.

1 – A Morte do Demônio (The Evil Dead) – 1981

evildead
Quando me convidam para comer de graça

Ashley e um grupo de amigos vão para uma casa na floresta em busca de uma noite de diversão. Lá, encontram um velho livro que, quando lido em voz alta, desperta a morte. Os amigos acabam libertando uma corrente de demônios e agora terão que lutar por suas vidas ou acabarão como um deles.

BONUS: O clássico não está disponível na Netflix, entretanto a nossa querida plataforma de streaming conta com a primeira temporada da série Ash Vs The Evil Dead, que tem o enredo em volta do carismático e escrachado personagem principal, 30 anos depois dos acontecimentos do primeiro filme.

2 – O Ataque Dos Vermes Malditos (Tremors) – 1990

tremors
Você vai ficar um tempo sem comer macarrão

Perfection é uma pequena vila isolada no meio do estado de Nevada onde, indo de encontro à calmaria costumeira, passa a sofrer uma série de abalos sísmicos estranhos. Para investigar as vibrações a estudande de sismologia Rhonda instala aparelhos no deserto. É quando dois trapaceiros, Val e Earl, descobrem que embaixo da cidade está uma ninhada de vermes gigantes e fedorentos, com tentáculos na boca e que se movem sob a terra em alta velocidade. Acuada pelas criaturas, os habitantes da cidade se unem para encontrar uma solução e eliminá-los.

O longa está disponível na Netflix.

3 – O Ataque dos Tomates Assassinos! (Attack of the Killer Tomatoes!) – 1978

tomates assassinos
Não mexe com minhas compras

A situação está saindo do controle em uma área experimental do departamento de agricultura, e tomates estão atacando as pessoas. Em um primeiro ataque, uma dona de casa desamparada é atacada em uma cozinha. A polícia começa a investigar e faz uma constatação impressionante: Não é sangue, é suco de tomate. Os tomates crescem indefinidamente e atingem circunferências enormes: atirar com espingardas e outras armas de fogo já não adianta mais.

4 – A Mosca (The Fly) – 1986

thefly
Impactada com o babado

O cientista Seth Brundle testa uma máquina de teletransporte de matéria e inadvertidamente permite que uma mosca entre na câmara junto com ele. Quando se dá a reintegração, o DNA de Seth funde com o do inseto, dando início a uma perigosa mutação genética.

5 – A Noite Dos Mortos Vivos (The Night of the Living Dead) – 1968

nightoftheliving.gif
Chegando do rolê

A radiação provocada pela queda de um satélite faz com que os mortos saiam de suas covas como zumbis comedores de gente, fazendo com que um grupo de pessoas refugiados em uma casa tenham que lutar pela sobrevivência contra uma horda sedenta de carne e sangue.

***

“Peixe de Segunda” é a coluna da Baleia para tratar de temas não convencionais dentro da cultura pop e do universo geek.