Conheça detalhes de “Worlds Collide”, quinta temporada de Fortnite

Nova temporada do game mais falado do momento chega com features curiosas.

Anunciada há alguma semanas, com uma rachadura nos céus, a quinta, e misteriosa, temporada de Fortnite já está disponível para os players do mundo inteiro. As principais mudanças estão relacionadas a locomoção, com carrinhos de golfe e transportes dimensionais, além de armas temáticas.

Os All Terrain Kart (algo como “kart para todos os terrenos”, em tradução livre), ou ATK, são carrinhos de golfe que deixam claro desde o início: agora está muito mais fácil, e rápido, se locomover, uma vez que o veículo comporta até quatro jogadores e tem atributos diferenciados, como poder saltar obstáculos, com trabalho em equipe de todos montados nele.

Novas armas e heróis também estão disponíveis, com temática retrô do Velho Oeste, além de duas novas cidades: Lazy Links, ao norte do mapa, e Paradise Palms, a sudeste, onde agora é um grande deserto com um novo bioma para dar vida a tudo aquilo.

Aquelas rachaduras, que surgiram nos céus umas semanas e deixaram os players apreensivos, trouxeram objetos interessantes para o game, como navios vikings e estátuas antigas, e fendas que alteram o espaço-tempo teletransportam os jogadores de uma parte a outra do mapa, deixando os combates ainda mais interessantes e dinâmicos.

O modo “Save the World” também recebeu atenção, e você poderá desafiar as hordas de zumbis no meio do deserto, com a sua equipe, para se manterem vivos no evento de “Road Trip”.

Confira as imagens oficiais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mario Kart 8 Deluxe: nova atualização permite compatibilidade com Toy-Con Motorbike

Um papelão desses, bicho

Por essa ninguém esperava. Parece que a Big N tem planos maiores para seus periféricos de papelão. Agora, além dos jogos convencionais da linha Nintendo Labo, você também pode derrapar nas curvas de Mario Kart 8 Deluxe usando um dos montáveis, o Toy-Con Motorbike.

O Toy-Con faz parte Variety Kit do Nintendo Labo. A Big N já se pronunciou e pretende levar cada vez mais Toy-Cons para dentro de seus jogos principais, fora da linha Labo.

Balanço Geral: surpresas e decepções da E3 2018

A exposição de 2018 foi como todas as outras, com seus pontos positivos e negativos. Mas, com certeza, foi melhor que a do ano anterior.

Aconteceu esta semana, em Los Angeles, a Electronic Entertainment Expo 2018 – E3, para facilitar. A exposição como uma Copa do Mundo para os gamers de todo o mundo, com comemoração e tudo, mas com o diferencial de ser anual. As principais fabricantes de consoles, e algumas das principais desenvolvedoras third-parties, usam os espaços da feira para apresentar ao público suas novidades.

E essa E3 foi incrível, apesar de todas ausências. Não é uma competição, mas com certeza nenhuma produtora ali quer perder. Os estúdio entraram com tudo o que tinham de melhor, e se deram ao luxo até mesmo de deixar algumas coisas de fora.

As grandes rivais, Microsoft e Sony, fizeram apresentações brilhantes de suas próprias maneiras. A Nintendo, de certa forma, foi a mais decepcionante. EA e Bethesda não se comprometeram e entregaram produtos parrudos. A Square-Enix entregou bons títulos, mas sem grandes surpresas. A Ubisoft apresentou promissores títulos, como não poderia deixar de ser. Vamos ao balanço!

EA – sábado, 9 de junho

Eu diria que o ponto mais alto da apresentação da EA seria quando os apresentadores deixaram claro, logo no início: “sem loot boxes”. A desenvolvedora parece ter aprendido com tudo que aconteceu no último ano e deixou de lado um pouco da ganância. Mas seria injustiça minha destacar isto como principal.

Eles trouxeram bons títulos e, como sempre, jogos com gráficos de brilhar os olhos. Podemos destacar aqui Anthem, que apresentou um belo gameplay e proposta inovadora para os games multiplayers.

Sentimos falta: Detalhes sobre Jedi: The Fallen Order. O título poderia ser o grande destaque da apresentação, mas não houve sequer uma artezinha conceitual.

Microsoft – domingo, 10 de junho

Difícil escolher um único destaque aqui. Halo Infinite? Devil May Cry 5? Gears Of War 5? Cyberpunk 2077? Escolhemos os cinco estúdios absorvidos pela Microsoft!

Desde sempre, o Xbox é criticado pela falta de exclusivos de peso. Quero dizer, eles têm o próprio Halo e Gears of War, por exemplo, mas o concorrente direto, PlayStation, tem um catálogo de títulos só deles muito maior e de muito mais sucesso.

Claro que apresentaram bons jogos nesta conferência, mas a aquisição, por exemplo, do Ninja Theory, desenvolvedor de games como Hellblade e Devil May Cry, é uma grande adição à companhia.

Sendo assim, destaco não o que a Microsoft apresentou para o Xbox One, mas, talvez, o que ainda estar por vir.

Sentimos falta: Nada. As expectativas eram baixas. Eles esmagaram as expectativas e aumentaram o nível para o ano que vem!

Bethesda – domingo, 10 de junho

Ah, Bethesda, sua danada! Nem que nos esforçássemos muito, conseguiríamos te odiar. Sempre carismática, ela trouxe uma apresentação consistente, parruda e com teasers para jogar para escanteio qualquer mau sentimento.

Queríamos ser do contra e tentar apontar defeitos no anúncio, como a falta de uma data. Mas, mesmo só com um teaser que não diz ABSOLUTAMENTE NADA sobre o que está por vir, The Elder Scrolls VI é tudo que temos a dizer.

Sentimos falta: Mais detalhes. Apesar dos bons títulos, a apresentação foi muito limitada à visões superficiais sobre os títulos.

Square-Enix – segunda, 11 de junho

Trailers bonitos, nova IP, live action… Sabemos que, apesar das grandes novidades, o que todos queriam era a continuação de Kingdom Hearts, e ela chegou! Apesar de já ter dado as caras no dia anterior, na conferência da Microsoft, não poderíamos tirar esta estrela da apresentação da Square-Enix.

A novidade, agora, é que, como ficou claro na apresentação do Xbox, Kingdom Hearts 3 também estará no catálogo do console da Microsoft pela primeira vez.

Sentimos falta: Qualquer coisa sobre o remake de Final Fantasy 7.

Ubisoft – segunda, 11 de junho

Esses franceses têm grandes títulos, é inegável. O trailer cinematográfico do ambicioso Beyond Good & Evil 2 tem seu lugar sob os holofotes, ou mesmo o carro-chefe, Assassin’s Creed. Mas, cá entre nós, depois do sucesso de público e crítica de Origins, já imaginávamos que o Odyssey se faria presente na E3.

Isso deixa um pé atrás, por conta de todos os problemas que tiveram com a pressa para lançar um AC por ano, e o trailer faz parecer que o novo título da franquia é o Origins que foi à academia. Então, vamos pegar o caminho mais difícil.

O trailer de The Division 2 deixou muita gente animada e esperamos um jogo ainda mais imersivo que o primeiro. Os gráficos estão incríveis e jogabilidade empolgante. É um título que de futuro!

Sentimos falta: Splinter Cell. Muito se dizia sobre uma possível aparição do título na conferência, mas não foi confirmado.

PlayStation – segunda, 11 de junho

Em 2017, decepção foi o que ficou. No ano passado, a Sony trouxe uma apresentação xôxa, decepcionante. Mas, neste ano, meu amigo…

Foi, de longe, a conferência que trouxe o maior número de títulos empolgantes. Entre esperados e inesperados, a boa surpresa ficou por conta do trailer do remake de Resident Evil 7, anunciando três anos atrás e que desde então ficou sob silêncio ensurdecedor.

Tivemos também o impactante primeiro trailer de gameplay de The Last of Us Part 2, trazendo uma visão intimista sobre a protagonista Ellie. Também o trailer de Death Stranding. Quanto a esse, o Kojima ainda tem muito o que se explicar…

Mas, nada disso! Digo, TLOU2 já era esperado para conferência e, sim, o trailer empolgou e aumentou (muito) o hype. Mas Ghost of Tsushima nos pegou de guarda baixa. Gráficos incríveis, gameplay imersivo, ambientação impecável. Queríamos apenas uma data, Sony. Nem que fosse uma previsão… Isso não se faz.

Sentimos falta: Red Dead Redemption 2.

Nintendo – terça, 12 de junho

Não empolgou. Nos desculpem N-boys and girls, mas a apresentação da Nintendo, apesar dos ótimos títulos anunciados, foi chata, maçante. Apesar de terem tentando nos convencer de que o objeto de maior destaque ali era Super Smash Bros. Ultimate, acreditamos que Fire Emblem seja o mais inesperado, e vamos nos agarrar a isso.

Sentimos falta: Metroid Prime 4.

***

E vocês, o que acharam da E3 neste ano? Muitos dos games apresentados estão mais próximos do lançamento do que esperávamos. E, acalmem-se. Também sentimos falta de Superman, provável próximo título da Rocksteady. Devemos ter novidades em breve.

Telltale divulga trailer de The Walking Dead: The Final Season

A Telltale Games publicou o trailer da temporada final de sua saga sobre The Walking Dead. A história será o arco derradeiro de Clementine, personagem dos outros jogos da série.

O lançamento ocorre em 14 de agosto para PC, Xbox One, PS4 e Switch. Porém, quem pedir em pré-venda terá acesso a todos o outros títulos da franquia lançados anteriormente.

Para este último episódio, uma das características interessantes será o suporte para 4K e HDR. Confira abaixo o trailer.

Fortnite e Dragon Ball FighterZ podem chegar ao Switch

O aclamado game, Fortnite, pode estrear em breve na casa do nosso querido encanador bigodudo. 

Um rumor se espalha cada vez mais forte na internet a fora. Tudo começou com um curioso (e duvidoso) documento vazado por um usuário do fórum 4Chan, revelando uma série de jogos que podem ser anunciador para o Nintendo Switch durante a E3.

fortnite-switch
Vamos combinar que não é difícil fazer isso em casa, né amigos?

O que vem a seguir muita gente não esperava, saca só: após o vazamento, um órgão de classificação da Coréia do Sul, classificou o game para o nosso amado Nintendo Switch. Agora não tem mais desculpa, a probabilidade é muito grande.

Nós aqui da Baleia só não colocamos a mão no fogo porque sabemos como a industria dos games pode ser imprevisível. Lembrando que, apesar das evidências, tudo ainda se trata de um rumor.

Fortnite já está disponível para Playstation 4 e Xbox One, faltando somente o console da Nintendo para completar o Big 3 dos consoles.

Nintendo confirma Pokémon Let’s Go Pikachu e Pokémon Let’s Go Eevee para Switch

A Nintendo fez questão de ressaltar que os novos títulos não são aqueles anunciados na E3 de 2017, para a franquia central de RPG’s da série.

Após uma tonelada de rumores, a Nintendo acabou de confirmar os games Pokémon Let’s Go Pikachu e Pokémon Let’s Go Eevee. Os jogos trazem novas abordagens para a franquia, misturando elementos apresentados em outros títulos da franquia, inclusive Pokémon GO, é claro, serão lançados para Switch em 16 de novembro deste ano.

Dependendo do título, o jogador começará com um Pikachu, ou um Eevee, que não viverão dentro de pokébolas – eles acompanharão o player pelo mundo ao seu lado. E essa não é a única similaridade com o longínquo Pokémon Yellow: eles se passarão na região de Kanto, revisitando as cidades dos primeiros games.

Os dois novos jogos serão focados na captura de Pokémon, não sendo possível a batalha contra os monstrinhos selvagens. Contudo, lutas poderão ser travadas contra NPC’s.

As novidades dessas duas novas aventuras, não são exatamente novidades. Na E3 de 2017, a Nintendo anunciou dois novos jogos para a franquia central de RPG’s da série, mas deixou claro de que estes só serão lançados na segunda metade do ano que vem.

O jogador utilizará apenas um joy-con do Switch, para explorar o mundo e capturar Pokémon, utilizando o controle de movimento para lançar pokébolas. O segundo joy-con pode ser usado por uma segunda pessoa, para aumentar as chances de captura. Este player auxiliar também poderá colaborar em batalhas, apesar de não ter ficado claro como isso ocorrerá.

Além de ter emprestado mecânicas do Pokémon GO, de 2016, os dois jogos poderão ser conectados via bluetooth, com o player podendo enviar Pokémon e itens do game mobile para o Switch – já o caminho contrário, não é permitido.

Outro periférico será lançado junto dos novos títulos, mas vendido separadamente: o Poké Ball Plus. Funcionará como um joy-con, com um controle analógico no centro para atirar pokébolas. Em outra função, mais fofa que útil, ele vocalizará as emoções do seu Pokémon e exigirá carinho e atenção. E quem não, não é mesmo?

Confira todos os jogos confirmados, até agora, para a E3 2018

Nas convenções de 2017, Sony e Microsoft deixaram um buraco de decepção. Esse ano, a equipe da Baleia cobrirá as conferências e as coisas serão diferentes!

A E3 2018 vem aí e a comunidade gamer já está agitada com os rumores, listas vazadas e apostas – vocês verão as nossas por aqui em breve. Desde 1995, a convenção da Electronic Entertainment Expo., em Los Angeles, é palco de grandes novidades no mundo dos games, e foi escolhida para a revelação de grandes títulos e novos consoles.

Para não nos decepcionarmos com as conferências desse ano, como aconteceu com Sony e Microsoft, ano passado, estamos tentando manter as expectativas. Mas a lista de jogos confirmados, até agora, não ajudam. Days Gone, Death Stranding, The Last of Us part II, Marvel’s Spider-Man, para citar alguns títulos da Sony; Super Smash Bros’, para Switch. A empresa do Xbox mantém o mistérios sobre o que deve levar ao evento.

Não podemos nos esquecer das desenvolvedoras third-parties, como Bethesda, Square-Enix e EA. Essa última apresentará mais detalhes de Battlefield V e Anthem, ambicioso projeto previsto para o início de 2019.

Segue a lista:

  • 3 Minutes to Midnight
  • The Abyss
  • Anthem
  • Arcade 1UP
  • Arcade Islands: Volume One
  • Aria’s Legacy
  • Atari Flashback Classics para Switch
  • Atari Flashback Classics Volume 3
  • Battle Teams 2
  • Battlefield V
  • Beyond Good and Evil 2
  • Call of Duty: Black Ops 4
  • Champions Eleven
  • Death Stranding
  • Defiance 2050
  • Destiny 2 (nova DLC)
  • The Division 2
  • For Honor
  • Ghost of Tsushima
  • Heavy Fire: Red Shadow
  • Home Sweet Home
  • Kingdom Hearts IIII
  • The Last Of Us Part II
  • Monster Hunter Generations Ultimate
  • Night Driver
  • Pool Elite
  • Rage 2
  • ReEvolve
  • Remedy Entertainment: novo título
  • RollerCoaster Tycoon para Switch
  • RollerCoaster Tycoon Joyride
  • RollerCoaster Tycoon Touch
  • Saier’s Light
  • Spider-Man
  • Splatoon 2 (competição de E-Sports da Nintendo)
  • Super Smash Bros. Switch
  • Shadow of the Tomb Raider
  • The Sinking City
  • Skull & Bones
  • Starline: Battle for Atlas
  • Strange Brigade
  • Tempest 4000
  • Transference
  • Transit City Touch
  • V-Rally 4
  • Warhammer Martyr
  • War Clash

E você, o que espera da conferência? Qual título te deixa mais ansioso?

Resident Evil 7 Cloud Edition: A péssima surpresa da Capcom

Em uma lição de como atender os fãs da pior maneira possível, Resident Evil 7 só poderá ser jogado no Switch via streaming.

Essa semana, a comunidade da Nintendo foi pega de surpresa pela Capcom que, enfim, decidiu portar Resident Evil 7 para o Switch. Quer dizer, mais ou menos isso. A empresa japonesa resolveu testar algo “novo” no híbrido da Nintendo, e disponibilizar o game somente por streaming.

Novo somente para a Capcom, já que o Switch também conta com Phantasy Star Online 2 em sua biblioteca. A grande diferença é que o game da Sega é um MMORPG, o que justifica o uso constante de dados para sua utilização. Com servidores somente no Japão, qualquer tentativa de jogar Resident Evil 7 no Switch aqui no ocidente, mesmo com uma ótima banda, será um grande fracasso.

O site britânico Nintendo Life fez o teste em seu escritório, e o resultado foi longe do satisfatório. O servidor não aguentou até o final da cena de abertura e ainda assim travou bastante durante o tempo que ficou de pé.

Por outro lado, na terra do sol nascente, as conexões funcionaram muito bem, os botões corresponderam em tempo real, e a qualidade gráfica do jogo ficou bem próximo das versões dos consoles da Microsoft e Sony, variando a resolução de acordo com a banda, para não perder performance. Veja você mesmo a comparação:

Preguiça ou necessidade?

Com ports como Doom e Wolfenstein II muito bem feitos para o Nintendo Switch, a desculpa de hardware inferior não cola como justificativa para a Capcom, que se aproveitou do Nintendo Switch para testar um novo mercado.

Você nunca poderá chamar o jogo de seu. Resident Evil 7 Cloud Edition funciona como um aluguel: você paga ¥ 2.000,00 (aproximadamente R$66,00) e pode aproveitar o game, com todas DLC’s já lançadas, somente por 180 dias. Já pensou se a moda pega?

maxresdefault
Wolfenstein 2  – Nintendo Switch. É assim que se faz, Capcom!

Sem previsão para o mercado ocidental, Resident Evil 7 Cloud Edition é uma grande interrogação, principalmente para o mercado brasileiro e sua baixa banda de internet. Além de comprometer a principal característica do Nintendo Switch, que é a portabilidade, o game exige servidores próximos e uma ótima conexão para o bom funcionamento.

Para a Capcom, é apenas mais um jeito de aproveitar o mercado japonês e garantir dinheiro com um game que já não arrecada tanto como em seu lançamento, sem a necessidade de gastar com uma portabilidade propriamente dita. Que feio, Capcom!