Nem só de Netflix vive um bom maratoneiro: Amazon Prime Videos

Não é novidade para ninguém que estamos imersos em uma cultura on demand. Cada vez mais as pessoas procuram por conteúdos que podem ser assistidos em múltiplos aparelhos e à hora que quiserem. Ou seja, as plataformas de streaming estão dominando o cenário audiovisual.

E, justamente por isso, até as emissora de TV acabo estão migrando seus conteúdos para suas próprias plataformas  para poder adequar as novas demandas do público. Então nós, da Baleia, fizemos um review sobre as principais plataformas disponíveis no Brasil para você escolher qual a sua preferida!

A Amazon Prime Videos, streaming da Amazon.com que chegou no Brasil em 2016, aos poucos vem lutando pela concorrência com a Netflix, principalmente pelo preço. Nos primeiro seis meses o valor é de R$7,90 e depois passa para o preço cheio de R$14,90. Apesar do catálogo não ser tão vasto como a concorrente, o Prime Videos conta com alguns títulos de peso como Mr Robot e os spin-offs de The Walking Dead e The Good Wife: Fear The Walking DeadeThe Good Fight, respectivamente.

A plataforma também conta com algumas séries como a espanhola Isabel (2012), que conta sobre a vida de Isabel de Castela e Aragão em uma pegada similar ( salvaguardo as diferenças por se tratar uma série produzida fora do contexto mainstream dos EUA e Inglaterra)  a de The Crown.  A narrativa da produção é mais lenta e cheia de detalhes históricos que levam a entender a formação atual da Espanha e seus dilemas étnicos.

A série que possui três temporadas no total, retrata desde a ascensão de Isabel ao trono de Castela e seu casamento com Fernando II de Aragão até o financiamento das viagens de Cristóvão Colombo em 1492 que levaram a “descoberta” das Américas. Para se encontrar no tempo e espaço basta saber que a rainha Isabel era mãe da Catarina de Aragão, primeira esposa do rei Henrique VIII e pai da rainha Elizabeth I da Inglaterra.  Originalmente  a série é transmitida em conjunto pelos canais espanhóis Televisão Española (TVE) e La 1.

Uma curiosidade que faz Isabel ser uma série que merece sua atenção é participação do ator que interpreta o professor em La Casa de Papel, Álvaro Morte.

Assim como o seu concorrente, o streaming conta com produções originais que valem muito apena conferir. The Man in the High Castle (2015), por exemplo, é um série que retrata um mundo alternativo se Hitler tivesse ganhado a Segunda Guerra Mundial e os Estados Unidos foram divididos entre o Japão e o III Reich.

Durante a trama, percebemos o mundo “parou” depois da Segunda Guerra Mundial e os EUA foram totalmente imersos na cultura Japonesa e Alemã. Na contramão, a série também retrata grandes inovações tecnológicas – como voos entre continentes que duram menos de 3 horas.

O plot da série é realmente convidar o telespectador a imaginar realidades diferentes com uma trama envolvente que conta com o elenco de peso como: Rufus Sewell (O ilusionista), Rupert Evans (Hellboy), Luke Kleintank (Bones), DJ Qualls (Supernatural) e Alexa Davalos (Fúria de Titãs).

Além disso, Além disso, a produção conta com uma trilha sonora de arrepiar que sempre possui um significado simbólico muito grande para o enredo. A música é utilizada para aprofundar os significados da trama e para garantir que o público tenha mais noção das emoções vivenciadas pelos personagens. A título de comparação, uma outra série que possui uma pegada muito parecida em relação as músicas e a narrativa é The Handmaid’s Tale.

Atualmente, a série produzida por Ridley Scott conta com apenas duas temporadas e, durante a Comic Con 2018, ganhou data de estreia para sua terceira temporada no dia 5 de Outubro.

Outra produção da plataforma que vale apena conferir é a indicada a melhor série de comédia ( e, por acaso, a favorita nessa categoria) e de melhor atriz em série de comédia no Emmy 2018: The Marvelous Mrs. Maisel. A série foi criada pelos mesmo produtores de Gilmore Girls (2000) – Amy Sherman-Palladino e Daniel Palladino – e conta a história da Midge Maisel, uma mulher que descobre que sempre teve talento para comédia apenas após ser abandonada por seu marido.

Assim, o enredo da trama vai ser construído ao entorno da vida privada da personagem e seus dramas familiares mostrando o seu crescimento e o seu reconhecimento como comediante.  O plot da série é realmente narrar como nasce um talento e como esse talento precisa ser trabalhado. Por isso, a história tem como plano de fundo o mundo do stand up na década de 1950 em Nova York.

Mas não é só nos momentos em que a personagem está se apresentado que a comédia aparece. Em todo o episódio e todos os personagens são extremamente cômicos e sarcásticos fazendo com que a série seja ainda mais divertida. Essa é uma série que emociona e diverte ao mesmo tempo, sendo extremamente complexa.

Marvelous Mrs. Maisel trata-se de uma comédia  com uma dinâmica, piadas inteligentes e diálogos rápidos – o que lembra um pouco os diálogos de Gilmore Girls – que demanda do espectador full atenção e um ótimo elenco. Justamente por isso, na lista de premiação preliminar do Emmy, a série foi apontada como a vencedora da categoria melhor elenco de série de comédia. O elenco da série conta com a participação de atores como Tony Shalhoub (Monk), Marin Hinkle (Two and a half man) e Rachel Brosnahan (House of Cards).

No mais, os figurinos são excepcionais, a trilha sonora também, a fotografia muito bem feita destacando bastante e bem colorida. Mas, o principal, mostra uma mulher forte, apesar de agir dentro do protocolo das mulheres da época, e a evolução do feminismo e a busca pela mudança social e política nos EUA.

Até então, a produção só tem uma temporada, mas, segundo a Amazon, ela já foi renovada até a terceira e em pouco tempo já deve ser divulgada a data de estreia da segunda temporada.

Se sua preferência for produções de espionagem com uma pitada de ação a Amazon chega com tudo com sua mais nova produção: Tom Clancy’s Jack Ryan (John Kasinski). A série conta a história de um agente da CIA enfrentando os principais perigos que ameaçam os EUA. Se você gosta de produções como Homeland  essa pode ser a sua favorita. Essa série tem tido um alto investimento em marketing por parte da Amazon, que vem tratando-a como o seu grande “blockbuster” para conquistar o público e ganhar mais assinantes.

Recentemente, durante a Comic-Con 2018, os representantes da Amazon Prime anunciaram mais uma nova série original, do mesmo criador de Mr.Robot, inspirada em um podcast intitulado de Homecoming. A série promete ser um thriller eletrizante estrelado por ninguém menos que Julia Roberts e estreia dia 02 de novembro desse ano. Infelizmente, para o público brasileiro, a série chegará sem a famigerada legenda em português que só estará disponível em 2019.

Mas nem de flores e produções de qualidade a Amazon Prime vive. A plataforma sofre com alguns problemasTêm algumas produções que não tem disponível as legendas em português. Esse é o caso das famosas séries This is UseLaw and Order Special Vitims UnitedNo entanto, isso pode não ser de todo mal, principalmente para quem gosta de aprender inglês através das séries.

Os comandos de legenda também são um problema. Você precisa sair do episódio para conseguir mudar ou alterar e em alguns momentos as legendas podem não estar sincronizadas. Portanto, apesar de se tratar de um streaming com um acervo de conteúdos bem vasta e interessante, a plataforma ainda está em desenvolvimento.

No geral? Vale muito apena assinar o streaming, especialmente para ter acesso a outras produções e maratonar. A Amazon Prime vem apresentando produções com uma grande qualidade tanto em seus aspectos estéticos quanto narrativos, e vem ampliando seu catálogo com séries e filmes para fazer os viciados não saírem de casa de vez.

 

Dia do sexo: 5 cenas de sexo que mudaram a vida dos personagens (e dos fãs)

  • Com colaboração de Julia Benatti

Se tem uma coisa que faz o coração do telespectador bater mais forte é uma boa cena de sexo. Romances, ação ou terror, não importa o gênero, na maioria das produções alguma hora um casal irá demonstrar sua paixão. As vezes o sexo só faz parte do enredo, feito para chocar o público ou agradar quando trata de algum casal muito popular. Outras vezes essas cenas vêm para ser uma ruptura na vida dos personagens e mudar a forma como eles lidam com suas vidas.

Pensando nisso, escolhemos cinco cenas que impactaram não só os fãs, mas também a vida dos personagens.

– Black Mirror – Be right back

(2ª temporada, ep. 1. Direção: Owen Harris)

tumblr_olcj01cEsX1tqkn68o1_250

Vemos o romance de Martha (Hayley Atwell) e o robô Ash (Domhnall Gleeson) se desenvolver, imaginando como será o futuro da humanidade quando dizer o “adeus” definitivo não for mais necessário. Tudo parece bonito demais, simples demais, até Martha e o novo Ash terem relações sexuais pela primeira vez e ela perceber que aquele não é o seu marido, apenas um reflexo de quem ele era.

A partir disso, Martha passa a ver o robô Ash como uma imitação barata do homem que ela amou, sem qualquer tipo de complexidade que um ser humano teria. Isso acaba por fazê-la odiar o robô, mas não o bastante para destruí-lo.

– Grey’s Anatomy – Brave New World

(5ª temporada, Ep. 4. Direção: Eric Stoltz)

maxresdefault

Apesar de não ser um dos casais favoritos dos fãs de Grey’s Anatomy, o romance ente Callie Torrez (Sara Ramirez) e Erica Hahn (Brooke Smith) tem seu ápice nesse episódio. É nele que acontece um grande passo na evolução amorosa de Callie uma das personagens favoritadas da série.

Callie tem sua primeira relação sexual com uma mulher e a gente acompanha toda a sua descoberta como bissexual. Apesar do romance durar muito pouco com a saída da personagem da Hahn, essa história foi muito marcante tanto na história quanto para o público.

Não era de se esperar que a personagem que sempre se acreditou heterossexual teria um relacionamento de primeira com alguém do mesmo sexo sem alguns passos incertos. A sua primeira vez é péssima!!! E isso só vai ser resolvido no 6º episódio da temporada depois de uma longa conversa entre as  personagens que deixa a Callie mais confortável para se abrir a nova experiência.

O relacionamento ente Callie Torrer e Erica Hahn é o que dá a carga emocional e experiência para a personagem entrar em um dos relacionamentos mais famosos da série com a Arizona Robbins (Jessica Capshaw) e que, apesar do seu fim, ainda é muito lembrado pelos fãs. #Calzona

– Friends – The one with Ross’s wedding – Parte 2

(4ª temporada, Ep. 24. Direção: Kevin Bright)

friends-monica-chandler-engagement-friends-fest.jpg

Se tem uma cena de sexo (ou pós) que fez mudar tudo em uma série, foi quando vimos que Chandler e Mônica tinham transado. O resto do grupo ainda levaria muito tempo para descobrir e o episódio em que a verdade sai à tona ainda é um dos melhores de todos os tempos. Mas não tem como comparar com a surpresa que foi quando os dois saíram de debaixo dos cobertores.

Mesmo assim, não seria possível imaginar como esse relacionamento mudaria a dinâmica do grupo, tornando-os o casal mais querido de Friends.

– Outlander – The Wedding

(1ª temporada, ep. 7. Direção: Anna Foerster)

Considerado por muitos como o melhor episódio da temporada, esse é também um dos grandes acontecimentos que sustentam a série inteira.

Até o casamento de Claire (Caitriona Balfe) e Jamie (Sam Heughan), a inglesa se mantinha leal ao seu primeiro marido, Frank (Tobias Menzies). Mas a necessidade de um casamento às pressas e a falta de paixão – pelo menos relevada – não destruiu todo o romance da cena. A noite de núpcias de Claire e Jamie marcou o clima do que seria todo o relacionamento do casal, evidenciando sua conexão e amor recíproco.

– Game of Thrones – The Kingsroad

(1ª temporada, ep. 2. Direção: Tim Van Petten)

11-1461340626

Antes de Daenerys se tornar a rainha dos dragões, ela era subjulgada pelo seu marido Khal Drogo (Jason Momoa), que a via praticamente como uma escrava. Após pedir a ajuda de sua aia para conquista-lo, Daenerys passa a assumir o controle na cama.

A cena não só muda totalmente a relação entre Drogo e Daenerys, mas também nos dá um gostinho da mulher poderosa e corajosa que veríamos ao longo da série. Ainda que tenham começado de um modo no mínimo questionável, até hoje o Khal e sua Khaleesi são lembrados como um dos casais mais queridos de Game of Thrones.

 

 

Frank está morto: teaser da sexta temporada de “House of Cards” mostra Claire visitando túmulo

Temporada final estreia em novembro.

Carro-chefe da Netflix por várias temporadas, “House of Cards” vem chegando para sua sexta, e última, temporada. Em teaser divulgado hoje, a poderosa, e agora presidente dos Estados Unidos, Claire Underwood (Robin Wright) visita o túmulo de Frank, colocando de vez a última pá sobre o personagem.

Ao que parece, a morte não será exibida na série, mas deve ser tratada ao longo da temporada final com pouco destaque, uma vez que o legado do “ex-presidente” não é algo que se queira lembrar.

Kevin Spacey, ator que personificou o até então protagonista, teve seu contrato com a Netflix cancelado, após múltiplas alegações de abusos sexuais e comportamento inadequado nos sets de filmagens.

A sexta temporada de House of Cards estreia dia 2 de novembro, na plataforma de streaming.

Rumores confirmados: Henry Cavill será estrela de “The Witcher”, da Netflix

Mais de um ano depois, temos novidades empolgantes sobre a produção!

Em maio de 2017, a Netflix anunciou a aquisição dos direitos para produzir uma série baseada nos contos Andrzej Sapkowski, dos anos 80, sobre o bruxo Geralt de Rivia, The Witcher. Desde então, rumores começaram a correr sobre quem interpretaria o personagem principal na adaptação da gigante dos streamings.

No último mês, o nome de Henry Cavill ganhou força, tanto entre a mídia especializada quanto com o público e fãs da série, que aprovaram a proposta. Hoje, a companhia do Vale do Silício confirmou os rumores com poucas palavras.

Henry Cavill, como a maioria o conhece, é o Super Homem da DC. O ator já se declarou grande fã dos contos originais poloneses. Contudo, a série será baseada nos games, que são o que tornaram o bruxo mais conhecido, apesar dos livros serem cultuados no leste europeu. A produção contará, inicialmente, com oito episódios.

Além do ator, um time de peso vem sendo montado para começar a rodar as filmagens. Lauren Schmidt Hissrich (Daredevil, The Defenders, Umbrella Academy) é o produtor executivo, roteirista, showrunner, e um dos diretores. Alik Sakharov (House of Cards, Game of Thrones) também será produtor executivo, e dirigirá quatro episódios, incluindo o piloto. Alex Garcia Lopez (Luke Cage, Daredevil, Utopia, Fear the Walking Dead) e Charlotte Brandstrom (Starz’s Outlander, Counterpart) dirigirão, cada um, dois episódios.

O próprio autor da série, Andrzej Sapkowski, e Tomasz Bagiński, diretor de algumas cutscenes da série de games, também estarão envolvidos na produção como consultores criativos.

thewitcher-henrycavill
Fanart conceitural, feita por BossLogic, assim que os rumores começaram a surgir.

Geralt de Rivia, o bruxo

The Witcher é uma série de contos sobre um bruxo caçador de monstros, que entre seus combates se apaixona por uma feiticeira, chamada Yennefer, e encontram em Ciri a filha que ambos nunca tiveram. Nessa saga fantasiosa, uma incrível história de família é contada, com inúmeros personagens carismáticos e plot twists para deixar qualquer enredo muito mais interessante.

Os livros viraram uma trilogia de games, da igualmente polonesa CD Projekt Red, onde o último título, The Witcher III: Wild Hunt (PS4, Xone, PC), bateu recordes, se tornando o jogo mais premiado da história.

5 motivos para assistir “Anne with an E”

Após a criadora da série Anne with an EMoira Walley-Beckett, pedir a ajuda dos fãs para que a série não fosse cancelada na sua segunda temporada, os amantes dessa produção da Netflix fizeram campanha, subiram hashtags no Twitter, tudo para atrair mais pessoas e subir a audiência da série.

Anne with an E conta a história de Anne, uma órfã que é adotada acidentalmente por um casal de irmãos que vive em uma fazenda em Green Gables. Logo que chega, Anne encanta à várias pessoas do lugar (e assusta o restante) com sua mente criativa e revolucionária. A série foi baseada no livro de 1908 “Anne of Green Gables” de Lucy Maud Montgomery, que o inspirou na sua própria vida que, após perder a mãe com 21 meses e ter a guarda negada pelo pai, vai viver com os avós maternos.

Seria impossível para nós da Baleia ficar longe dessa briga por salvar uma das séries mais belas e ainda, de bônus, com uma protagonista feminina nerd. Então montamos essa lista para você, que quer convencer seus amigos à assistirem Anne with an E e para você, que ainda não conferiu a série.

5 – A fotografia

A fotografia de Anne with na E é um dos pontos que mais tira o ar do público quando assiste. A beleza do Canadá, as cores da floresta, a beleza e cuidado da produção com os detalhes. Tudo se junta em uma perfeita construção: a atmosfera fria do país, com a alegria quente de Anne, que por onde passa com seus cabelos vermelhos colore tudo ao seu redor.

4 – Mas é drama?

Essa série vai te fazer chorar, com certeza, não só nos momentos tristes, mas principalmente nos felizes. É impossível não se emocionar e se contagiar pela protagonista que sempre mantem a imaginação e o otimismo a seu favor, ainda que sua vida tenha

sido repleta de tragédias.

Anne with an E é um refresco para a alma em tempos de seca.

 

 

3 – A história

Qualquer tipo de sinopse só consegue simplificar a série, que é muito mais complexa do que poderíamos explicar aqui.

Ainda que eu esteja me contradizendo aqui, a história é bela principalmente pela simplicidade. A construção dos personagens se dá de forma sutil e seus problemas também. Ainda que aconteça no passado, as questões tratadas pela série são bem atuais: o abandono, o feminismo, o bullying, a descoberta da sexualidade entre outros assuntos profundos que a série trata.

 

2 – Os personagens

Os personagens são claramente o suporte da série. Ainda que o roteiro seja muito bem construído, é impossível não se apaixonar por Anne, Marilla, Mathew, Gilbert e todos os personagens de Green Gables (até aqueles que amamos odiar). Mostrando uma infinita complexidade, vemos os personagens se alterando conforme se aproximam de Anne.

Se tudo que eu falei anteriormente não foi o suficiente, assista só pelos personagens, pela construção de personalidades que é feita de forma tão rica e ao mesmo tempo tão sutil.

1 – Anne

Em Anne with an E vemos tudo pelo olhar de uma criança que conheceu o pior do mundo, mas ainda assim espera o melhor das pessoas.

Anne é uma órfã que sofreu inúmeros abusos quando morou em um orfanato principalmente pelo seu amor aos livros, ao conhecimento e por ser considerada “estranha”. Anne é, meus amigos e amigas, uma clássica nerd. E não só isso, uma nerd feminista! Ela simplesmente não aceita que sua vida será regrada por um homem e que mulheres devem esconder sua inteligência atrás de belos laços de fita (tudo isso enquanto anseia pelo mais belo vestido da loja da cidade).

Anne é feminina, nerd, revolucionária, criativa, corajosa e, facilmente, uma das melhores protagonistas de séries que eu já vi (e eu já vi um bom cado de séries).

 

E se isso não te convenceu a assistir a série, assista mesmo assim e veja por si só como a Netflix acertou em cheio, mas pode cometer o erro de cancelá-la.

 

Andy Serkis dirigirá adaptação de “A Revolução dos Bichos” para a Netflix

Serkis também dirigiu Mowgli, recentemente adquirido pela Netflix.

Clássico da literatura mundial, “A Revolução dos Bichos”, de George Orwell, teve os direitos adquiridos pela Netflix e será transformado em um longa para a plataforma de streaming pela produtora de Andy Serkis, que dirigirá a obra.

O anúncio veio poucos dias após da notícia de que a Netflix também adquiriu os direitos do filme Mowgli, também dirigido por Serkis. A diferença é que o filme do menino lobo já foi finalizado pela Warner Bros. e, desta forma, não deve mais chegar aos cinemas, como previsto.

A adaptação de “A Revolução dos Bichos” será feita pela Imaginarium, produtora do própria diretor, e utilizará a mesma tecnologia de captura de “Planeta dos Macacos: A Origem” (2011) e “Planeta dos Macacos: O Confronto” (2014), filmes nos quais Serkis interpretou o chimpanzé Ceasar, e também o filme Mowgli. Matt Reeves, que trabalhou com Andy em ambos os filmes do Planeta dos Macacos, será produtor em mais este trabalho.

bg_georgeorwell
George Orwell, autor de “A Revolução dos Bichos” (Foto: BBC)

Em um pronunciamento, Serkis disse: “Estamos muito animados em ter finalmente encontrado a casa criativa perfeita, na Netflix, para esse extraordinário zeitgeist de George Orwell.”

Ainda em pré produção, a película não tem data de lançamento.

O livro

“A Revolução dos Bichos”, (Animal Farm, 1945), de George Orwell, é uma alegoria da revolução russa de 1917, onde animais de uma fazenda, na Inglaterra, se rebelam contra seu proprietário e tomam o poder, em busca de igualdade.

Rapidamente, egos se inflam, uma ditadura é instaurada pelo porco Napoleão, e a utopia igualitária cai por terra, com ideologias como “todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que outros.”

Star Trek: Spock de Discovery será bem diferente

Desde que foi anunciado que Spock, um dos personagens mais queridos da cultura nerd, apareceria na segunda temporada de Star Trek: Discovery, os fãs ficaram muito animados (e um pouco temerosos) sobre como o personagem seria representado na série da Netflix.

Agora, em uma entrevista ao site TV Guide, o showrunner da série, Alex Kurtzman, avisou: Spock será muito, muito diferente e ainda assim consistente como personagem que conhecemos.

 “Não é exatamente o Spock que conhecemos na série original. Existe muita história para Spock antes dele se tornar o que conhecemos, aquele que é o oposto de Kirk. O que estou tão animado é sobre como teremos uma oportunidade de mostrar Spock de um jeito totalmente consistente com o Spock que todos conhecem, mas ainda muito, muito diferente. E tudo vai ser amarrado com o cânone.”

A aparição de Spock na segunda temporada será relacionada à sua irmã adotiva, Burnham (Sonequa Martin-Green). Ainda foi prometido que será explicado o porquê de Spock nunca ter falado sobre sua irmã durante seu tempo na USS Enterprise.

“Nós vamos ver muito coisa sobre eles. Eu acho que como todo irmão ou irmã, há amor. Tem muita coisa guardada. Por isso é tão legal explorar essa relação, tem muitas complicações que podemos trazer à tona.” Revelou o produtor executivo Heather Kadin.

Ainda não foi anunciado quem interpretará Spock, mas o trailer já revelou quem será o Capitão Pike (capitão da USS Enterprise antes de Kirk).

Confira:

5 séries tranquilas para maratonar no final das férias

Mês de julho acabando e geralmente com ele vem o fim das férias. Um período bastante triste, mas estamos aqui para te ajudar a superar este momento. Selecionamos 5 séries com poucas temporadas ou episódios curtinhos para você aproveitar no último final de semana do mês. Confira:

Archer (9 temporadas)

Archer acompanha a vida dos agentes da organização americana ISIS, mas com um foco maior no protagonista, Sterling Archer. Auto-destrutivo, um tanto mulherengo e sem nenhum filtro. Este é o perfil básico do personagem principal, mas isto não quer dizer que tais comportamentos não se espalhem para o resto do elenco. E por falar no elenco, todos os personagens secundários são extremamente carismáticos e prendem sua atenção quando algum deles se torna o foco.

As nove temporadas acabam num piscar de olhos, pois a maioria delas possui 10 episódios. Algumas chegando a ter 13 e outras apenas 8. Se você gosta de um humor um tanto ácido, e séries num estilo desenhado, então com certeza irá gostar (e muito) de Archer.

Archer_Header

 

Final Space (1 temporada)

Uma série de animação de ficção científica mais voltada para o público adulto. Lembrando em alguns momentos a Futurama. Você acompanha Gary, que está encarcerado em uma nave-prisão, quando este encontra seu companheiro, Mooncake. Um bichinho verde e muito simpático, mas com um poder imenso. Os dois passam então a fugir do vilão, Lord Commander.

Conta com apenas uma temporada de 13 episódios, que possuem por volta de 20 minutos. Ou seja, em algumas horas você consegue assistir a tudo e ficar com vontade de assistir mais e mais.

FINAL_SPACE-1024x576

The Alienist (1 temporada)

O suspense policial, The Alienist, se passa em Nova York, 1896, quando o chefe de polícia Theodore Roosevelt (Brian Geraghty) – o mesmo que se tornaria presidentes dos Estados Unidos – se vê investigando o brutal assassinato de crianças. Sem qualquer pista, ele pede a ajuda do psicólogo Laszlo Kreizler (Daniel Bruhl), do repórter policial John Moore (Luke Evans) e da sua secretária Sara Howard (Dakota Fanning). Os quatro então tentam desvendar os segredos do perturbado serial killer para encontrá-lo antes que ele mate mais crianças.

“The Alienist” é baseada no romance policial homônimo de Caleb Carr, publicado em 1994. A série foi originalmente lançada pela TNT, mas você pode devorá-la em um só final de semana pela Netflix.

The-Alienist

Alias Grace (Minissérie)

Alias Grace é uma minissérie da Netflix baseada no livro de Margaret Atwood (a mesma autora de The Handmaid’s Tale), e depois que você começa, é impossível parar.

A série conta a história de Grace Marks (Sarah Gadon), uma irlandesa que vai viver no Canadá e é contratada para trabalhar como empregada doméstica. Muitos anos depois, o Dr. Simon Jordan (Edward Holcroft) conhece Grace e tenta descobrir por que uma moça bonita e gentil como ela foi condenada à prisão perpétua pelo assassinato brutal do seu antigo patrão, Thomas Kinnear (Paul Gross) e da governanta da casa Nancy Montgomery (Anna Paquin). Seria Grace inocente? Culpada? Ou apenas vítima da situação?

aliasgrace

 

The Good Place (2 temporadas)

A série exclusiva da Netflix é ótima para quem gosta de uma comédia tranquila, mas extremamente bem feita. Com uma história bem construída e personagens extremamente carismáticos.

O enredo é focada em Eleanor Shellstrop (Kristen Bell), que morre e é recebida no Lugar Bom por Michael (Ted Danson). Lá ela acredita ter sido confundida com alguém, pois na realidade as atitudes que teve em vida não fizeram dela uma pessoa digna de estar no  paraíso.Então, várias situações começam a acontecer com ela e mais um grupo de pessoas de quem se torna amiga.

Contando com duas temporadas de 13 episódios cada, The Good Place é ótimo para te tirar do tédio, e os episódios curtos podem ser assistidos mesmo no horário do almoço. Uma terceira temporada já está encomendada.

the-good-place

Nightflyers: Assista ao primeiro trailer de nova série de George R. R. Martin

O livro foi publicado por George R. R. Martin nos anos 80.

O canal Syfy exibiu em seu painel na San Diego Comic Con o primeiro trailer da sua nova série Nightfyers. A série é inspirada no livro de George R. R. Martin, autor dos livros Game of Thrones, e terá 10 episódios.

A trama se passa às vésperas da destruição da Terra, no futuro, onde oito cientistas e uma telepata embarcam no veículo mais avançado da galáxia, The Nightflyer, para interceptar uma espaçonave alienígena que pode ajudar a salvar a humanidade. No entanto, eventos macabros e sem explicação começam a perturbar a tripulação, fazendo-os questionar a sua própria sanidade.

A atriz Jodie Turner-Smith (The last Ship), interpretará a protagonista Melantha Jhirl. O elenco ainda contará com Gretchen Mol (Boardwalk Empire), Eoin Macken (The Night Shift), David Ajala (Black Mirror) e Sam Strike (Mindhunter). Robert Jaffer estará na produção e Lloyd Ivan MillerAlice P. Neuhauser e Jeff Buhler ficarão responsáveis pelo roteiro.

Nightflyers tem estreia prevista para 2018 e será exibida pela Netflix no Brasil.

Confira o trailer: 

 

Conheça (Des)encanto, a nova animação de Matt Groening para a Netflix

A animação está sendo conhecida na internet por ser a mistura entre Simpsons e Game Of Thrones

Criador de Simpsons e Futurama, Matt Groening está trabalhando em uma animação para a Netflix: (Des)encanto – Disenchantment – que terá sua estreia em breve, no dia 17 de agosto.

Matt já havia trabalhado com o futuro em Futurama, com o presente em Os Simpsons e agora se arrisca em uma aventura medieval. A trama gira em torno da jovem princesa Bean, que sempre bebe além da conta, seu Elfo e Luci uma espécie demônio. Além é claro de contar com outras diversas criaturas mitológicas da terra média, como Ogros, Trolls e Harpias.

A animação ganhou o seu primeiro teaser para introduzir minimamente o universo de Dreamland, que promete dramas familiares entre o rei e a princesa Bean, mas não revela muitos detalhes.

A primeira temporada da série contará com 20 episódios e será exclusividade da plataforma de streaming Netflix.