The Avengers Project: jogo baseado na franquia dos cinemas estará na E3 2019

Parece que faz uma eternidade, mas foi ainda no mês passado que a Marvel fechou a série de filme dos Vingadores, com Avengers: Endgame, maior blockbuster do século que, como que usando a manopla do Thanos, aniquilou recordes universo afora. A poeira ainda não assentou e foi anunciado que o game da série de maior sucesso da história dos super heróis no cinema estará na E3 deste ano.

O anúncio foi feito pelo perfil oficial dedicado à franquia Avengers, no Twitter, e será revelado na E3 2019, que começa dia 11 de junho.

Desenvolvido pela Square Enix (Final Fantasy, Kingdom Hearts) em conjunto com a Crystal Dynamics – que já trabalharam juntos na série Tomb Raider -, o game, anunciado com um teaser, ainda em 2017, e com pouquíssimos detalhes a respeito, será apresentado na própria conferência da Square no evento anual de Los Angeles.

Em 2018, Scot Amos, uma das cabeças pensantes da Crystal Dynamics, disse que o estúdio está comprometido com o desenvolvimento do “Avengers Project”. “Estamos sempre procurando adicionar desenvolvedores incríveis aos nossos melhores talentos.”

Veja o teaser de lançamento, revelado em 2017:

Death Stranding chega para o PS4 em novembro

Depois de muito mistério, temos mais algumas informações sobre o game

O próximo jogo de Hideo Kojima (Metal Gear) será liberado dia 8 de novembro exclusivamente para o PlayStation 4. Após anos de espera, especulações e muitas dúvidas, podemos finalmente conferir mais um trailer do aguardado lançamento. Confira abaixo:

Vale ressaltar que além de Kojima, Norman Reedus ( The Walking Dead), Mads Mikkelsen (Hannibal) e Guillermo del Toro ( O Labirinto do Fauno) também estão envolvidos no jogo. A pré venda já está disponível, caso você tenha se interessado.

Ragnarök está de volta! Sucesso dos anos 2000 chega aos celulares

Game foi amigável até com máquinas menos potentes, mas agora vai exigir um pouco mais do seu smartphone.

Um dos primeiros MMORPG a fazer sucesso entre os brasileiros, em meio ao boom da internet no início da década passada, Ragnarök está de volta com uma versão voltada para o público mobile. Ragnarök M: Eternal Love, disponível para Android e iOS, promete agradar aos antigos fãs e também ao público mais novo, que talvez nunca tenha ouvido falar do game.

O título da Gravity Co. sempre foi amigável ao jogadores, principalmente para mercados emergentes, como o Brasil, que, por ser leve, rodava em quase qualquer PC doméstico.

Agora, as coisas mudaram um pouco. Lançado há quase 17 anos, apesar do tamanho reduzido, o jogo original trouxe gráficos cartunescos divertidos. Essa experiência nostálgica está mantida, mas aperfeiçoada para os smartphones.

Os arquivos para download nas lojas de aplicativos da Google e da Apple têm 1.4GB e 2.1GB, respectivamente, tomando boa parte do espaço de armazenamento e deixando alguns players de fora.

O jogo é free-to-play, ou seja, você não paga nada para jogar. Contudo, há microtransações in-game para compra de equipamentos e melhorias, cosméticas ou não. Apesar de facilitar o progresso, se optar por não gastar um centavo com as compras no jogo, você ainda terá acesso a 100% da experiência do jogo.

Vale pela nostalgia dos bons anos de internet de volta?

Dia do sexo: 5 jogos em que se agasalha o croquete

Tá danadinho para saber, né? A lista só tem jogão, vale a pena pela história também.

* Com ajuda de Carlos Maximiano.

Vídeogames nunca foram produtos exclusivamente para crianças. Sim, é verdade, o mercado e os setores de marketing se aproveitaram da inocência infantil e do coração mole dos pais para vender. Mas o fato é que muitos títulos sempre trouxeram temáticas pesadas, ou difíceis de digerir. Quando mais novos, jogávamos pela diversão. História era plano de fundo.

Com o tempo, fomos nos envolvendo com as narrativas e tudo que elas traziam, como o amor, a violência, temas de interesses sociais e, claro, o sexo. Alguns acrescentam este último como parte do enredo, de forma natural, como tem de ser. Outros, exageram na mão, beirando à apelação.

Não vamos abordar os jogos assumidamente eróticos ou pornográficos, mas sim aqueles em que o recurso é um plus na história. Vamos falar um pouco sobre os mais famosos?

GOD OF WAR (Sony)

Kratos, além de deus da guerra, é um mestre na fornicação. O deicida, ao longo da série, usa o sexo como uma fuga de seus problemas psicológicos – sim, como todos os líderes excêntricos, ele sofre de tointoin.

Aqui, é um dos casos de exagero. Apesar dos ótimos títulos, a Sony pesou a mão e calejou muita gente com quick time events para passar pelas cenas de sexo. Mas, poxa, era Grécia Antiga!

ASSASSIN’S CREED: BROTHERHOOD (Ubisoft)

Nesse grande título da franquia caça-níquel da Ubisoft, a cena é mais natural. Se encaixando bem na narrativa, o momento acrescenta um ar de romance e dá uma certa vulnerabilidade a Ezio.

MASS EFFECT: ANDROMEDA (BioWare)

Último título lançado da franquia, Mass Effect: Andromeda foi criticado por suas animações, apesar do excelente enredo. Mas isso é assunto para outra abordagem. O fato aqui é que você pode desenvolver relacionamentos poligâmicos, com vários tipos de espécies e orientações. O que faz sentido, uma vez que seu personagem é um viajante intergalático.

E, no meio desses relacionamentos desenvolvidos ao longo das missões, há algumas válvulas de escape para descompressão e aliviar todo estresse das longas missões espaciais: coito.

THE WITCHER 3: WILD HUNT (CD Projekt Red)

Os bruxos de de Kaer Morhen são insaciáveis e, durante a trama, entre prostituas e sucubas, Geralt se envolve com algumas feiticeiras que conheceu ao longo de sua jornada, inclusive nos dois primeiro títulos da série.

Entre as cenas, inclui uma com o grande amor de sua vida, Yennefer, sobre um unicórnio. É um excelente jogo, mas eu não sei o que pensar.

GRAND THEFT AUTO (Rockstar Games)

Em GTA você é um (ou vários) bandido, que vive ao limite o estilo de vida fora da lei. Entre fugir da polícia e até outros vilões, tão ou mais perigosos que você, roubar bancos, assassinatos e crimes de oportunidade, o protagonista precisa se aliviar da tensão.

Por toda a série, é possível visitar ou contratar prostituas. No seu carrinho, em um beco, ou no quarto, o clima esquenta.

[BÔNUS] THE SIMS (Electronic Arts)

O simulador de vida leva ao pé da letra, apesar do mundo extremamente fantasioso. Entre as inúmeras interações e convenções sociais, quando o clima de romance surge, está sempre ali a opção Oba-oba, onde os sims se dirigem à cama, moita ou ao armário mais próximo para um momento mais íntimo.

Além de humanos, ETs e vampiros, recentemente, os adolescentes também ganharam a opção “ficar na brincadeira”. Sem contar, ainda, que por ser um game originariamente para PC, a comunidade modder faz a festa em cima para retirar a censura e deixar as cenas explícitas.

MENÇÕES HONROSAS

Far Cry 3 (Ubisoft), Heavy Rain (Quantic Dream), Duke Nukem Forever (Gearbox Software), Alpha Protocol (Sega).

***

E você, qual o jogo mais te pegou de surpresa no rala-rala? Seus pais estavam na sala na hora?

The Heist: primeiro DLC de Marvel’s Spider-Man para PS4

Foi anunciado hoje, dia 3 de Setembro, o primeiro DLC de The City Never Sleeps.

The Heist, a primeira parte, contará com a participação da Mulher Gato e será lançado oficialmente no dia 23 de Outubro.

Os próximos DLCs devem sair em Novembro e Dezembro ainda deste ano.

Você pode conferir o teaser a seguir:

Spider-Man lança dia 7 de Setembro, sexta-feira, e é exclusivo para Playstation 4.

 

 

Preview: o que esperar do novo Red Dead Redemption

Título AAA da Rockstar está batendo na porta.

Não que o game original tenha deixado a desejar. Muito pelo contrário! Mas, Red Dead Redemption, de 2010, foi sem dúvidas um dos títulos marcantes da geração passada. Lançado pela Rockstar Games, como uma sequência espiritual de Red Dead Revolver, a história de John Marston chegou sob um hype incrível, e estourou as expectativas.

ATENÇÃO: texto com spoilers inevitáveis e comparações esdrúxulas com games de outros estilos que, por alguma razão, tenham características parecidas.

Anunciado em 2006, Red Dead Redemption foi apresentado em um vídeo conceitual, com um caubói solitário cavalgando por uma cidade fantasma, no meio do deserto do velho oeste estadunidense. Como era de se esperar, o hype foi criado e a Rockstar escondeu o título por alguns anos, até que, finalmente, os gamers pudessem colocar suas mãos nele e curtir uma das histórias mais profundas entregues pela indústria, até então.

Repetindo aquilo que todo mundo já sabe, na pele de John Marston (ou, Señor Marston), você (caso tenha jogado) viveu uma aventura por quatro regiões diferentes, entre os Estados Unidos e o México. Enredo impecável, jogabilidade nunca vista antes e um mundo aberto tão vivo, cheio de side-quests – repetitivas, algumas vezes, é verdade, mas extremamente satisfatórias – e personagens carismáticos. Do protagonista, aos NPCs aleatórios de Armadillo.

Por que dizer tudo isso? Para chegarmos aonde precisamos: como Red Dead Redemption 2 conseguiu todo o hype que tem hoje, menos de dois meses antes de seu lançamento. As imagens entregues, até agora, pela Rockstar, são de encher os olhos. Apesar do enredo ainda ser desconhecido, o jogo já é, sim, candidato por antecipação ao Game Of The Year!

Para acionistas, a produtora disse que o título vai “revolucionar a indústria”. Claro, nessas reuniões os executivos falam de tudo para manter seus investidores felizes. Mas não está vindo de qualquer um. É a desenvolvedores de GTA V, que até hoje figura entre os títulos mais vendidos, mês após mês, nas mais diferentes plataformas. Muito por conta de seu modo online, e trataremos disso mais para frente.

Não entrarei em detalhes e expectativas técnicas. Esse texto é para abordar o que espero de vivência, jogabilidade e experiência como jogador. Afinal, com os investimentos milionários das desenvolvedoras, é o que interessa.

PROTAGONISTA

rdr2-arthur3
Arthur Morgan é o novo protagonista da série (Imagem: Reprodução / Rockstar)

Com Arthur Morgan, membro não mencionado no primeiro jogo, da Dutch’s Gang, gangue da qual Marston também fazia parte, viveremos uma história predecessora ao primeiro título. Sim, Red Dead Redemption 2 é uma prequela.

É aí que chegamos ao grande “SERÁ?” Um personagem muito parecido com John, com cortes e suturas no rosto, que supostamente deram origem às características cicatrizes do protagonista, deu as caras em um dos primeiros trailers.

Não sabemos o quão aprofundado o game será na backstory de Marston, apesar de ser um dos desejos dos fãs, já que o passado do personagem é muito obscuro. Claro, o protagonista é outro. Mas muito da antecipação ao game, antes mesmo de qualquer anúncio oficial da Rockstar, estava baseada em se querer mais sobre John, sua esposa Abigail, o filho Jack e até o “tio”, que não tem nome.

rdr2-john
Restam poucas dúvidas de que John estará na nova história (Imagem: Reprodução / Rockstar)

AMBIENTAÇÃO

O primeiro título entregou um incrível mundo aberto. Fauna e flora te faziam afundar naquele ambiente e te puxavam para a exploração, tirando o foco da história principal, em alguns momentos. E assim queremos continuar.

Os vídeos apresentados até aqui não deixam margens para dúvidas: teremos, mais uma vez, um mundo rico a ser explorado. A potência dos consoles da atual geração prometem entregar uma atmosfera ainda mais imersiva e, de acordo com posicionamentos da Rockstar, o ambiente ao seu redor será mais responsivo e, as ameaças, serão constantes. Tanto por parte de NPCs, quanto da vida selvagem.

Esse é um dos pontos que trazem mais expectativas sobre o game. Muito por conta do que vimos desde o lançamento do primeiro título, até hoje. Jogos como The Witcher III – Wild Hunt subiram a barra do que se espera em um jogo de mundo aberto, rico e imersivo.

O título da CD Projekt Red apresentou um universo lindo, com desafios a cada palmo de mapa. As diferentes regiões do game traziam diferentes biomas, o que faz com que o player se sinta dentro do jogo, como parte de tudo aquilo que acontece ali.

Sim, o primeiro Redemption apresentou vastidão sem precedentes em um jogo de mundo aberto, e é bem provável que a Rockstar esteja com um produto para, mais uma vez, revolucionar a indústria em múltiplos aspectos, mas espero que o novo game me faça querer jogar por horas e horas, sem rumo. Apenas explorando um universo rico.

rdr2-ambiente
Ao que parece, boa parte do enredo será na vida selvagem, em esconderijos de gangues (Imagem: Reprodução / Rockstar)

MODO ONLINE

Ainda não se sabe quando o modo online será lançado. Isto porque o game chegará apenas com o modo história, sendo o multijogador adiado, ainda por tempo não informado, como aconteceu com o próprio Grand Theft Auto V.

As razões para isso são múltiplas. Tanto para o produto que chega ao jogador, quanto mercadológicas. É mais frutífero entregar um título conciso, com o desenvolvimento focado em uma experiência inesquecível de história. Após isso, juntar o que deu certo, pegar o feedback da comunidade, e deixar de lado aquilo que não tem tanto proveito.

A lógico, existem os interesses financeiros. Com GTA V, a Rockstar surfou muito bem no hype do game, que foi um sucesso desde o seu lançamento, com uma história incrível e gameplay inovador de múltiplos protagonistas. Então, com a euforia já neutralizado, veio o modo online, que varreu a indústria novamente e mantém, até hoje, o game entre os mais vendidos. Podemos dizer que existem dois GTA’s: um pré, e outro pós modo multijogador.

rdr2-arthur4
As possibilidades em um modo online são infinitas (Imagem: Reprodução / Rockstar)

A Rockstar repetirá, sim, a estratégia e acredito que seja benéfico para o jogador de uma forma geral. Com o modo online saindo “atrasado”, temos certeza de que a desenvolvedora uniu forças para entregar a melhor experiência de campanha possível e dará todo suporte nos primeiros meses, para correções de possíveis bugs e melhorias. Por conseguinte, a resposta dos players será fundamental para que os produtores aproveitem o que há de melhor no game para aplicação no modo multiplayer.

Do modo online, os produtores já avisaram que será um “GTA melhorado”. Não precisa de muito mais, mas sempre podemos esperar inovações por parte dos pais de muitos dos jogos que mais amamos.

O primeiro Redemption trouxe um multijogador primitivo, mas divertido. Logo foi abandonado pela comunidade, já que, à época, o toxicidade entre os players não era combatida e o ambiente acabava por se tornar, quase que, insuportável.

Para ser sincero, não tenho muitas exigências se a Rockstar realmente trouxer a experiência de GTA para o mundo de Red Dead. A temática de faroeste deve casar muito bem com a exploração e as possibilidades do mundo aberto. O que realmente tornará o online inesquecível é o universo e a casualidade do game. As oportunidades são infinitas, num mundo onde não há leis.

Apenas poder vagar pelas cidades do velho oeste, como um fora da lei, em um ambiente rico e orgânico, já valerá a pena, como player. Até por que, mantidos os princípios, será ainda mais divertido formar gangues de foras-da-lei, substituindo as choppers dos motoclubes por cavalos parrudos.

MISTÉRIOS

Red Dead Redemption tem muitos deles. O mais conhecido, talvez, seja o desconhecido Strange Man. Um homem que aparece em circunstâncias diferentes do game, bem vestido como um lord, e sempre se direcionado a John por seu nome. Ele entra em detalhes da vida do protagonista, mostrando conhecê-lo muito bem, apesar de Marston soltar o icônico “Do I know you?”

O NPC é esquivo, e todas as vezes em que aparece, deixa mais perguntas que respostas, fugindo de qualquer questionamento com alguma mensagem misteriosa. O mais freak: apesar de interagir vividamente com John, Strange Man parece não fazer o mesmo com o restante do mundo ao seu redor. Se você tentar disparar sua arma contra ele, por exemplo, a bala simplesmente atravessará o personagem, que não esboçará nenhuma reação.

O consenso na comunidade é que Strange Man seja personificação de deus ou do diabo. Ou dos dois. Outros dizem ser o fantasma de um anônimo, morto por John em seu passado obscuro. Não sabemos ao certo, mas esperamos descobrir mais sobre o homem misterioso no novo game. Um easter egg, talvez?

Outro grande mistério dentro do universo de Red Dead Redemption: Tumbleweed. A cidade fantasma, utilizada como esconderijo de foras-da-lei, fica localizada no extremo oeste do mapa, na região de Gaptooth Ridge, e é palco de alguns combates dentro da campanha do game. Mas o grande mistério está quando quase nada acontece.

rdr2-tumbleweed
Tumbleweed tem muitos mistérios (Imagem: Reprodução)

Caminhando pelas ruas de terra da cidade, ou por suas construções, principalmente na mansão mais ao norte, é possível ouvir gritos, sussurros e grunhidos inquietantes de pessoas, e ladrar de cachorros ao longe. Contudo, quando você segue os sons, chega até um cemitério abandonado. Durante a história do jogo, há várias referências à cidade, como sendo assombrada.

Não se sabe ao certo o que aconteceu para que a cidade tenha se engalfinhado até se tornar desértica e fantasma. Seria um baita hint descobrir, no novo Red Dead, um pouco mais da backstory da cidade. Ou até mesmo poder vagar por uma versão viva dela, e saber o que aconteceu.

ARTHUR MORGAN

rdr2-arthurjohn
Arthur e John, lado a lado (Imagem: Reprodução / Rockstar)

Voltamos ao início do texto para questionar. O protagonista não é citado em momento algum do primeiro game. E isso levanta perguntas, como: quem é Arthur Morgan? Quem acompanhou a história de John Marston, sabe de sua busca por vingança, e também por força da lei, de ir atrás de seus antigos colegas da Dutch’s Gang.

Se Arthur não foi caçado por Marston e pelos federais, quer dizer que ele deixou a gangue antes de seu fim e, sendo assim, se manteve low profile? Se John não estava atrás de Arthur por vingança, quer dizer ele não foi um dos traidores que o deixou para morrer? Talvez tenha morrido ou desaparecido, antes do fim do bando? São respostas que teremos que esperar o desenrolar da história para entender.

***

Estas são apenas algumas propostas do que espero, com uma opinião de fã. Até hoje, o Red Dead Redemption está no meu top 5 de jogos favoritos, e esse novo título foi o que me fez trocar meu velho PS3 por um PS4, assim que saiu o primeiro trailer, dois anos atrás.

Red Dead Redemption está marcado para chegar em 26 de outubro, e com certeza terei minha cópia e muitas expectativas, que com certeza serão superadas. E você, o que espera do game?

Jogos PS Plus e Games With Gold de setembro

Chega de esperar. Grande parte dos títulos já está disponível para download!

É o momento que todo gamer aguarda: os jogos de cortesia para assinantes PS Plus e Live With Gold. É o que faz sua assinatura valer a pena, o que te mantém pagando religiosamente, todos os anos, o serviço premium do seu console, mesmo sem quase nunca jogar online.

Nesse mês, a Sony se saiu melhor, trazendo, entre outros, os elogiadíssimos Destiny 2, que é praticamente um jogo recém lançado e com média 85 no Metacritic, e que está próximo de ganhar a DLC “Forsaken”, na próxima semana.

O outro game é God of War III Remastered, um dos títulos exclusivos mais aclamados do console japonês. Deve ajudar a dar um novo boost no God of War, lançado no início do ano, exclusivamente para o PS4. Ótima oportunidade para quem, como eu, não conheceu os demais jogos da série.

Já a Xbox Live With Gold, tem o destaque em For Honor, game de combate tático, com foco online, lançado pela Ubisoft no início de 2017. O título foi muito aguardado durante sua produção, mas ficou aquém do potencial que poderia alcançar, conseguindo média 79 no Metacritic.

Prison Architect é um título de simulação, construção e gerenciamento em 2D, onde o player tem que comandar uma prisão particular, da construção a contratação de funcionários. Divertido, o game promete boas horas na frente da TV.

Confira todas as novidades:

JOGOS PS PLUS – a partir de 1/09:

psplus-setembro

  • Destiny 2 (PS4)JÁ DISPONÍVEL
  • God of War III Remastered (PS4)a partir de 4/09
  • Another World – 20th Anniversary Edition (PS3, PS4 e PS Vita) – a partir de 4/09
  • QUBE Director’s Cut (PS3 e PS4) – a partir de 4/09
  • Sparkle 2 (PS Vita, PS3 e PS4) – a partir de 4/09
  • Foul Play (PS Vita e PS4) – a partir de 4/09
  • Here They Lie (PS VR) – a partir de 4/09

GAMES WITH GOLD – a partir de 1/09:

withgold-setembro

  • Prison Architect (Xone) – até 30/09
  • For Honor (Xone) – até 15/09
  • Livelock (Xone) – a partir de 16/09
  • Lego Star Wars III: The Clone Wars (Xbox 360) – de 1 a 15/09
  • Sega Vintage Collection: Monster World (Xbox 360) – a partir de 16/09

Saiba o que fazer com sua vida agora que a Copa acabou

O vazio dentro de nós é muito grande.

Acabou, no último domingo, a Copa do Mundo da Rússia 2018. E, junto com ela, a alegria de viver de muita gente – já não bastasse a eliminação precoce do Brasil. Mas, quem tem cultura geek, sempre tem companhia para esses momentos mais complicados.

Pensando no vazio existencial, principalmente para a maioria de nós que está, de alguma forma, de férias, achamos por bem trazer um raiozinho de esperança para suas vidas, com cinco coisinhas para preencher o seu dia.

Segue aí, nos agradeçam depois!

Fortnite: 5ª Temporada

Como já dissemos aqui, o MMO mais jogado da atualidade lançou uma nova temporada cheia de novidades. De fissuras que rompem barreiras tempo-espaciais a carrinhos de golfe, a lista de coisas para fazer está maior do que nunca, e divertida como sempre.

Games Retrô

O site Emulator.online oferece uma porrada de opções de plataformas de games retrô para você jogar online. O único requisito é ter o Flash instalado em sua máquina.

De 8 a 16 bit, você pode jogar uma infinidade de clássicos e ainda com a opção de salvar e de retomar o seu save, sem precisar de download. Dá para passar várias horas. Dias!

bg_coparetro

Monty Python, na Netflix

Em março desse ano, finalmente, Monty Python chegou à Netflix. Não com o catálogo completo, mas grande parte do material do grupo britânico está lá. Incluindo a série clássica “Monty Python’s Flying Circus” e os filmes “Monty Python’s The Meaning of Life” e “Monty Python’s Life of Brian”.

Livro: “Geek Love”, Katherine Dunn (1989)

Este livro de Katherine Dunn, conta a história da família Binewski, que viaja os Estados Unidos com seu freakshow itinerante. O detalhe é que as “aberrações” são geradas pelo próprio casal de genitores, que tomam substâncias tóxicas radioativas.

O livro ainda é um dos favoritos da lenda Neil Gaiman, dos rockstars Kurt Cobain e Flea, e foi inspiração para a temática do Lollapalooza e para a série “American Horror Story”.

bg_copageeklove

Veja esse e outros livros geeks aqui.

Stranger Things

A Netflix revelou nesta semana o teaser nostálgico – claro! – da terceira temporada de sua série de maior sucesso. Para se preparar, que tal maratonar as duas primeiras, que já estão disponíveis? Afinal, ainda não há previsão de lançamento dos novos episódios.

Conheça detalhes de “Worlds Collide”, quinta temporada de Fortnite

Nova temporada do game mais falado do momento chega com features curiosas.

Anunciada há alguma semanas, com uma rachadura nos céus, a quinta, e misteriosa, temporada de Fortnite já está disponível para os players do mundo inteiro. As principais mudanças estão relacionadas a locomoção, com carrinhos de golfe e transportes dimensionais, além de armas temáticas.

Os All Terrain Kart (algo como “kart para todos os terrenos”, em tradução livre), ou ATK, são carrinhos de golfe que deixam claro desde o início: agora está muito mais fácil, e rápido, se locomover, uma vez que o veículo comporta até quatro jogadores e tem atributos diferenciados, como poder saltar obstáculos, com trabalho em equipe de todos montados nele.

Novas armas e heróis também estão disponíveis, com temática retrô do Velho Oeste, além de duas novas cidades: Lazy Links, ao norte do mapa, e Paradise Palms, a sudeste, onde agora é um grande deserto com um novo bioma para dar vida a tudo aquilo.

Aquelas rachaduras, que surgiram nos céus umas semanas e deixaram os players apreensivos, trouxeram objetos interessantes para o game, como navios vikings e estátuas antigas, e fendas que alteram o espaço-tempo teletransportam os jogadores de uma parte a outra do mapa, deixando os combates ainda mais interessantes e dinâmicos.

O modo “Save the World” também recebeu atenção, e você poderá desafiar as hordas de zumbis no meio do deserto, com a sua equipe, para se manterem vivos no evento de “Road Trip”.

Confira as imagens oficiais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Novo herói de Overwatch é um hamster fofo, mas um detalhe tem assustado jogadores

Acontece quando Hammond é derrotado.

Wrecking Ball é o 28º, e aguardado, herói do FPS multiplayer Overwatch. Um hamster “superinteligente”, que pilota um mech suit gigante equipado com minas de proximidade, metralhadoras, escudo adaptativo, se transforma numa bola destruidora super rápida e ainda executa o mortal golpe piledrive.

Muita coisa para uma criaturazinha tão fofa. E tem mais: Hammond, como é chamado o roedor, não fala nem entende qualquer língua humana. Mas seu traje Wrecking Ball traduz automaticamente sua fala com um “tom apropriadamente ameaçador”.

Além de todas as qualidades acima, o mech suit ainda é equipado com garras que servem para que ele se movimente livremente pelo cenário, subindo em superfícies mais altas, ou cause danos aos adversários, caso os atinja.

Mas, depois da inclusão do personagem no catálogo do game, uma detalhe tem tirado o sono de alguns jogadores. Quando Hammond e Wrecking Ball são derrotados, o corpo do pobre e indefeso hamster fica exposto do lado de fora do traje, sem vida.

“É tão triste ver o corpinho do Hammond fora do mech!”

No Twitter, alguns jogadores têm relatado a terrível cena, e até pedido para que a Blizzard remova o conteúdo do game.

“Quando você mata o Wrecking Ball, Hammond despenca morto no chão e é traumatizante. Me odeio todas as vezes (que o mato).”

A Blizzard ainda não se posicionou sobre a situação. Mas, “polêmicas” à parte, o que você achou do novo herói de estimação?