Nem só de Netflix vive um bom maratoneiro: Amazon Prime Videos

Não é novidade para ninguém que estamos imersos em uma cultura on demand. Cada vez mais as pessoas procuram por conteúdos que podem ser assistidos em múltiplos aparelhos e à hora que quiserem. Ou seja, as plataformas de streaming estão dominando o cenário audiovisual.

E, justamente por isso, até as emissora de TV acabo estão migrando seus conteúdos para suas próprias plataformas  para poder adequar as novas demandas do público. Então nós, da Baleia, fizemos um review sobre as principais plataformas disponíveis no Brasil para você escolher qual a sua preferida!

A Amazon Prime Videos, streaming da Amazon.com que chegou no Brasil em 2016, aos poucos vem lutando pela concorrência com a Netflix, principalmente pelo preço. Nos primeiro seis meses o valor é de R$7,90 e depois passa para o preço cheio de R$14,90. Apesar do catálogo não ser tão vasto como a concorrente, o Prime Videos conta com alguns títulos de peso como Mr Robot e os spin-offs de The Walking Dead e The Good Wife: Fear The Walking DeadeThe Good Fight, respectivamente.

A plataforma também conta com algumas séries como a espanhola Isabel (2012), que conta sobre a vida de Isabel de Castela e Aragão em uma pegada similar ( salvaguardo as diferenças por se tratar uma série produzida fora do contexto mainstream dos EUA e Inglaterra)  a de The Crown.  A narrativa da produção é mais lenta e cheia de detalhes históricos que levam a entender a formação atual da Espanha e seus dilemas étnicos.

A série que possui três temporadas no total, retrata desde a ascensão de Isabel ao trono de Castela e seu casamento com Fernando II de Aragão até o financiamento das viagens de Cristóvão Colombo em 1492 que levaram a “descoberta” das Américas. Para se encontrar no tempo e espaço basta saber que a rainha Isabel era mãe da Catarina de Aragão, primeira esposa do rei Henrique VIII e pai da rainha Elizabeth I da Inglaterra.  Originalmente  a série é transmitida em conjunto pelos canais espanhóis Televisão Española (TVE) e La 1.

Uma curiosidade que faz Isabel ser uma série que merece sua atenção é participação do ator que interpreta o professor em La Casa de Papel, Álvaro Morte.

Assim como o seu concorrente, o streaming conta com produções originais que valem muito apena conferir. The Man in the High Castle (2015), por exemplo, é um série que retrata um mundo alternativo se Hitler tivesse ganhado a Segunda Guerra Mundial e os Estados Unidos foram divididos entre o Japão e o III Reich.

Durante a trama, percebemos o mundo “parou” depois da Segunda Guerra Mundial e os EUA foram totalmente imersos na cultura Japonesa e Alemã. Na contramão, a série também retrata grandes inovações tecnológicas – como voos entre continentes que duram menos de 3 horas.

O plot da série é realmente convidar o telespectador a imaginar realidades diferentes com uma trama envolvente que conta com o elenco de peso como: Rufus Sewell (O ilusionista), Rupert Evans (Hellboy), Luke Kleintank (Bones), DJ Qualls (Supernatural) e Alexa Davalos (Fúria de Titãs).

Além disso, Além disso, a produção conta com uma trilha sonora de arrepiar que sempre possui um significado simbólico muito grande para o enredo. A música é utilizada para aprofundar os significados da trama e para garantir que o público tenha mais noção das emoções vivenciadas pelos personagens. A título de comparação, uma outra série que possui uma pegada muito parecida em relação as músicas e a narrativa é The Handmaid’s Tale.

Atualmente, a série produzida por Ridley Scott conta com apenas duas temporadas e, durante a Comic Con 2018, ganhou data de estreia para sua terceira temporada no dia 5 de Outubro.

Outra produção da plataforma que vale apena conferir é a indicada a melhor série de comédia ( e, por acaso, a favorita nessa categoria) e de melhor atriz em série de comédia no Emmy 2018: The Marvelous Mrs. Maisel. A série foi criada pelos mesmo produtores de Gilmore Girls (2000) – Amy Sherman-Palladino e Daniel Palladino – e conta a história da Midge Maisel, uma mulher que descobre que sempre teve talento para comédia apenas após ser abandonada por seu marido.

Assim, o enredo da trama vai ser construído ao entorno da vida privada da personagem e seus dramas familiares mostrando o seu crescimento e o seu reconhecimento como comediante.  O plot da série é realmente narrar como nasce um talento e como esse talento precisa ser trabalhado. Por isso, a história tem como plano de fundo o mundo do stand up na década de 1950 em Nova York.

Mas não é só nos momentos em que a personagem está se apresentado que a comédia aparece. Em todo o episódio e todos os personagens são extremamente cômicos e sarcásticos fazendo com que a série seja ainda mais divertida. Essa é uma série que emociona e diverte ao mesmo tempo, sendo extremamente complexa.

Marvelous Mrs. Maisel trata-se de uma comédia  com uma dinâmica, piadas inteligentes e diálogos rápidos – o que lembra um pouco os diálogos de Gilmore Girls – que demanda do espectador full atenção e um ótimo elenco. Justamente por isso, na lista de premiação preliminar do Emmy, a série foi apontada como a vencedora da categoria melhor elenco de série de comédia. O elenco da série conta com a participação de atores como Tony Shalhoub (Monk), Marin Hinkle (Two and a half man) e Rachel Brosnahan (House of Cards).

No mais, os figurinos são excepcionais, a trilha sonora também, a fotografia muito bem feita destacando bastante e bem colorida. Mas, o principal, mostra uma mulher forte, apesar de agir dentro do protocolo das mulheres da época, e a evolução do feminismo e a busca pela mudança social e política nos EUA.

Até então, a produção só tem uma temporada, mas, segundo a Amazon, ela já foi renovada até a terceira e em pouco tempo já deve ser divulgada a data de estreia da segunda temporada.

Se sua preferência for produções de espionagem com uma pitada de ação a Amazon chega com tudo com sua mais nova produção: Tom Clancy’s Jack Ryan (John Kasinski). A série conta a história de um agente da CIA enfrentando os principais perigos que ameaçam os EUA. Se você gosta de produções como Homeland  essa pode ser a sua favorita. Essa série tem tido um alto investimento em marketing por parte da Amazon, que vem tratando-a como o seu grande “blockbuster” para conquistar o público e ganhar mais assinantes.

Recentemente, durante a Comic-Con 2018, os representantes da Amazon Prime anunciaram mais uma nova série original, do mesmo criador de Mr.Robot, inspirada em um podcast intitulado de Homecoming. A série promete ser um thriller eletrizante estrelado por ninguém menos que Julia Roberts e estreia dia 02 de novembro desse ano. Infelizmente, para o público brasileiro, a série chegará sem a famigerada legenda em português que só estará disponível em 2019.

Mas nem de flores e produções de qualidade a Amazon Prime vive. A plataforma sofre com alguns problemasTêm algumas produções que não tem disponível as legendas em português. Esse é o caso das famosas séries This is UseLaw and Order Special Vitims UnitedNo entanto, isso pode não ser de todo mal, principalmente para quem gosta de aprender inglês através das séries.

Os comandos de legenda também são um problema. Você precisa sair do episódio para conseguir mudar ou alterar e em alguns momentos as legendas podem não estar sincronizadas. Portanto, apesar de se tratar de um streaming com um acervo de conteúdos bem vasta e interessante, a plataforma ainda está em desenvolvimento.

No geral? Vale muito apena assinar o streaming, especialmente para ter acesso a outras produções e maratonar. A Amazon Prime vem apresentando produções com uma grande qualidade tanto em seus aspectos estéticos quanto narrativos, e vem ampliando seu catálogo com séries e filmes para fazer os viciados não saírem de casa de vez.

 

Mais uma: Mr. Robot será cancelada após quarta temporada

Série se junta a Game of Thrones e Big Bang Theory para season finale em 2019.

Uma das séries de maior sucesso desta década, é a próxima a dar adeus em 2019. Sam Esmail, criador de Mr. Robot, anunciou o fim do show após sua quarta temporada, que irá ao ar no próximo ano. A notícia foi dada em primeira mão pelo The Hollywood Reporter.

Sucesso de crítica, a quarta temporada foi anunciada, sem se saber de seu fim, em dezembro de 2017, com ordem para a produção de oito episódios; a menor, até então. Mas fontes disseram que foi feito o pedido para mais 12.

“Desde o primeiro dia, vim construindo em direção a uma conclusão. E e eu decidi que a conclusão chegou, finalmente, ao desfecho da próxima temporada”, disse Esmail.

“Todos do time criativo, incluindo o pessoal incrível da USA (Networks) e da UCP, não queriam dizer adeus, mas respeitamos demais demais a jordana de Elliot para extendê-la além de seu inevitável fim”, concluiu.

Mr. Robot estreou em 2015, seguindo a história de Elliot Alderson, um engenheiro de segurança nova-iorquino, e hacker, que sofre com transtornos mentais se junta a um grupo de cyber ativistas, com o ambicioso objetivo de, de alguma forma, derrubar o capitalismo.

Entre muitas outras, o sucesso da USA Networks chegará ao seu fim no mesmo em que como Game of Thrones e The Big Bang Theory. No Brasil, a série é transmitida pelo canal pago Space e está disponível no Amazon Prime Video.

Amazon já sabe quando quer estrear série baseada no universo de Senhor dos Anéis

Em entrevista recente, Jennifer Salke deu alguns detalhes sobre a produção.

Desde que anunciou a aquisição dos direitos para produção de uma série baseada nos livros de J.R.R. Tolkien, em novembro de 2017, pouquíssimo (ou quase nada) foi dito sobre a produção. E o investimento não nem um pouco modesto. A Amazon precisou desembolsar US$250mi para vencer a briga com a Netflix, que também estava interessada na obra. Mas Jennifer Salke, a chefe da companhia, resolveu falar.

Além do investimento milionário, apenas para aquisição dos direitos, estima-se que a Amazon desembolsará não menos que US$1bi para a produção das cinco temporadas, conforme pré-acordado em contrato. O maior investimento da história da televisão – há uma cláusula contratual estipulada pela Tolkien Estate, empresa responsável pelas obras do escritor britânico e que negociou os direitos da publicação.

Falando com The Hollywood Reporter, Jennifer Salke, CEO da Amazon, revelou a data em que a empresa espera colocar a série no ar. “Estará em produção em dois anos. 2021 é o que esperamos (que esteja no ar)”, disse. “Mas há algumas pessoas que desejam que seja 2020.”

Alguns dias atrás, Peter Jackson, diretor da trilogia de filmes que levou como uma onda os troféus do Oscar nos anos que esteve presente, disse recentemente que não está envolvido com a produção, ao contrário dos rumores. Mas Salke deixou a possibilidade no ar. “Estamos em conversas amigáveis com ele sobre quanto e qual tipo de envolvimento ele quer”, disse a CEO.

bg_amznjennifersalke
Jennifer Salke é CEO da Amazon e responsável pelas negociações para produção da série (Foto: Vanity Fair)

No momento, a Amazon está em busca de roteiristas para começar a estruturar a produção. Jeff Bezos, fundador da companhia, diz querer sua própria versão de Game of Thrones, sucesso da HBO, mas Jennifer é mais voltada para a realidade atual. “Todos nós adoraríamos um grande e viciante programa que estivesse no topo do segmento. Estamos muito animados com o Senhor dos Anéis”, disse. “Apesar de todas as conversas, só fechamos o contrato há um mês”, completou.

Ainda em pré-produção, detalhes sobre a série estão por vir. Não há sequer rumores sobre as escolhas de elenco e não se sabe sequer se Peter Jackson estará, de fato, por trás do trabalho e qual seria o seu papel. O que resta é esperar.

Amazon confirma que a série A Torre Negra está em desenvolvimento

Amazon surpreende ao afirmar que a série A Torre Negra ainda vai acontecer

Em entrevista ao Deadline, a chefe da Amazon Studios, Jennifer Salke, afirmou que a série A Torre Negra será desenvolvida e que o projeto ainda está vivo.

“Não recebi esses roteiros (de A Torre Negra e A Roda do Tempo) ainda. Eu verei esse material nas próximas semanas. Nenhuma dessas coisas está morta. Estão bem vivas.” Confirmou Salke.

A incerteza cercava o futuro da série, que iria ser produzida pela Sony, depois que o filme A Torre Negra, estrelado por Idris Elba e com direção de Nikolaj Arcel, foi um fracasso de bilheteria e críticas. O plano era que a série adaptasse os livros de Stephen King e o filme expandisse ainda mais o universo, mas, aparentemente, agora a ideia segue por um novo caminho.

O próprio autor dos livros, Stephen King, disse à Vulture que a série deve ser um reboot completo e ignorará os acontecimentos do filme de 2017.

Ainda não há previsão de estreia, mas mais informações devem chegar nos próximos meses.

A série de livros possui 7 volumes que já venderam milhões de cópias no mundo todo e é publicada pela editora Suma das Letras no Brasil.